Profissão Saúde
publicado em 29/07/2010 às 16h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Descrever, analisar e interpretar as experiências psíquicas vivenciadas por homens que esperavam o nascimento do primeiro filho, baseados na hipótese de que essa vivência re-atualiza conteúdos inconscientes do pai é o objetivo da Tese de Doutorado "Experiências psíquicas do homem à espera da paternidade", de autoria do psicólogo Rubens Maciel, apresentada na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, sob orientação do Prof. Dr. Alberto Olavo Advíncula Reis.

O tema da paternidade só recentemente tem aparecido com relativo destaque na literatura acadêmica da área da saúde, "embora seja de fundamental importância para o estudo da psicodinâmica dos indivíduos, das relações familiares, da saúde do homem, da mulher, da criança e do adolescente, e outros tantos atinentes à questão de gênero, no contexto da Saúde Pública", segundo Maciel.

O pesquisador entrevistou quatro homens entre 30 e 40 anos de idade, que viviam uma união estável e que estavam acompanhando a gravidez de suas mulheres. "Trata-se de uma investigação na confluência da psicologia e da saúde pública de natureza compreensiva e de corte qualitativo. Para efeito da coleta de dados foi utilizado o modelo clínico-qualitativo. Para efeito de análise, a partir dos elementos produzidos pelos sujeitos da pesquisa, estabelecemos 3 categorias: patrimônio afetivo, responsabilidade e desejo inconsciente", explica.

Os resultados encontrados indicam intensa mobilização afetiva revelada por meio de estados apreensivos diante da paternidade, com destaque para as dúvidas quanto à capacidade pessoal que o sentido de responsabilidade desperta. Ele citou como exemplos, identificações transgeracionais, conflitos relativos ao desejo manifesto e desejo inconsciente, sentimentos de frustração diante do desvio do investimento afetivo da mãe deslocado para a criança, sentimentos messiânicos, no sentido de que no futuro a paternidade possibilitará um estado de intensa satisfação, salvando o sujeito de suas angústias atuais, e a qualidade da relação entre pai e filho, intimamente associada ao patrimônio afetivo do pai.

"Concluímos que a paternidade surge, para alguns dos sujeitos de nossa investigação, como um conceito idealizado e nessa medida ela transcende a natureza humana com suas limitações, que a capacidade para ser responsável está profundamente vinculada ao patrimônio afetivo de cada sujeito e, que o desejo manifesto de ser pai pode não ser harmônico com seus desejos latentes, o que implica dificuldades no desempenho da paternidade", conclui o pesquisador.

Fonte: USP
   Palavras-chave:   Pai    Paternidade    Primeiro filho    Comportamento    Pesquisa    FSP-USP   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
pai    paternidade    primeiro filho    comportamento    pesquisa    FSP-USP   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.