Ciência e Tecnologia
publicado em 10/05/2010 às 20h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação/FMI
Trajetórias mostram a dinâmica dos padrões de atividade neuronal evocada
  « Anterior
Próxima »  
Trajetórias mostram a dinâmica dos padrões de atividade neuronal evocada

Cientistas no Instituto Friedrich Miescher descobriram como os odores são processados pelo cérebro. Conforme relatam, aromas no cérebro olfativo são classificados em três grupos representados por estados discretos de atividade dos circuitos neuronais. Utilizando avançados métodos óticos, eles descobriram que variações graduais resultam em transições abruptas entre os padrões de atividade neuronal. Estes resultados fornecem introspecções fundamentais nos mecanismos de processamento de informação no cérebro.

Um sommelier não tem dificuldade para discriminar entre o cheiro de limão, de pêssego e de damasco, toques de canela e cedro, ou cereja e amora-preta em vinho fino. Para aqueles com um nariz menos exigente, tais diferenças sutis são difíceis de detectar. Ao mesmo tempo, porém, o sommelier não vai perceber uma fragrância de fundo relativamente fraco, como um perfume. Isto porque, a partir da inundação de estímulos sensoriais, o cérebro humano extrai a informação certa e oculta os estímulos não essenciais, de modo a produzir uma percepção mais bem-definida.

Este foi o ponto de partida para o estudo liderado pelo pesquisador Rainer Friedrich.

A equipe de Friedrich investigou como o cérebro responde, quando um odor é gradualmente variado. Isto envolveu a alteração da concentração de um determinado cheiro ou a mudança de um aroma para outro similar.

Os pesquisadores observaram a atividade das células em circuitos neuronais do bulbo olfatório, o primeiro centro de processamento de informações no cérebro olfativo.

Nos experimentos, os neurobiólogos revelaram que os padrões de atividade neuronal foram em grande medida insensíveis às alterações na concentração. Mas a situação era bem diferente quando o cheiro foi alterado. Inicialmente, uma mudança na identidade molecular de um odor teve pouco efeito, mas em um certo ponto, o padrão de atividade mudou, produzindo uma representação de um aroma novo. Nesta transição abrupta, certos neurônios foram ativados enquanto outros foram inativados. O padrão de atividade neuronal, portanto, representou uma forma discreta.

Os resultados do estudo concluíram que, no bulbo olfatório, odores diferentes são especificamente classificados e representados por estados de atividade na rede neuronal claramente definidos. Estes resultados experimentais corroboram os modelos teóricos que os neurobiólogos têm procurado para confirmar por algum tempo.

Os neurônios e os circuitos do cérebro para executar um ato de equilíbrio delicado, como ser capaz de detectar alterações mínimas em estímulos sensoriais, são obrigados a ignorar o que não é importante. "Devemos reconhecer a aroma presente no vinho, mas ignorar o perfume usado pela pessoa que se senta ao nosso lado durante o evento de degustação", afirma Friedrich. Neurobiólogos assumem que as entradas sensoriais dentro de certos limites são classificadas e processadas da mesma maneira. No entanto, isso também significa que uma alteração mínima da atividade das células sensoriais pode abruptamente conduzir a uma classificação diferente, se ela ultrapassa o intervalo definido.

"Nós acreditamos que a classificação discreta de odores por circuitos neuronais reflete uma estratégia fundamental de processamento de informação, que também é provável que seja relevante para outras funções cerebrais", avaliou Friedrich.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Olfato    Odor    Cérebro olfativo    Atividade neuronal    Rainer Friedrich    Instituto Friedrich Miescher   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
olfato    odor    cérebro olfativo    atividade neuronal    Rainer Friedrich    Instituto Friedrich Miescher   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.