Geral
publicado em 07/04/2010 às 20h15:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação/POA
Idosos conversam em centro de atividades de asilo
  « Anterior
Próxima »  
Idosos conversam em centro de atividades de asilo

Pessoas idosas usuárias de medicamentos antipsicóticos parecem ter maior risco de adquirir pneumonia, sugere nova pesquisa.

Os dados são extraídos de um estudo de caso controlado de pacientes idosos, internos (em asilos, casas de repouso, por exemplo), que eram novos usuários de drogas antipsicóticas e sob os cuidados de um médico da atenção primária.

O estudo constatou que a associação entre uso de drogas psicóticas e pneumonia adquirida foi dependente da dose, ocorrendo com ambos os antipsicóticos atípicos e típicos. Além disso, o risco parece ser mais pronunciado durante a primeira semana de tratamento.

"Acreditamos que os médicos devem monitorar cuidadosamente os pacientes idosos que estão começando o tratamento com antipsicóticos atípicos e típicos, devido ao risco potencial de pneumonia adquirida, e o acompanhamento é especialmente importante durante a primeira semana de tratamento, e quando uma alta dose é prescrita", alerta Gianluca Trifiró, PhD, professor adjunto da informática médica no Centro Médico da Universidade Erasmus, em Roterdã, na Holanda.

Os médicos precisam prestar muita atenção aos primeiros sinais e sintomas de pneumonia, tais como dispnéia e febre, e considerar a interrupção do tratamento antipsicótico, se estes sintomas se desenvolverem, acrescentou.

"Eu não estou dizendo que os antipsicóticos não devem ser prescritos para pacientes idosos, mas que os médicos devem avaliar rigorosamente o perfil benefício-risco destes medicamentos no tratamento de pacientes mais velhos, particularmente aqueles que são internos. De fato, nesses pacientes, o risco de infecção adquirida na comunidade pode ser maior."

Segundo Trifiró, uma hipótese anti-histaminérgica fornece a explicação mais provável para o desenvolvimento de pneumonia induzida por antipsicóticos.

"Percebemos que os antipsicóticos com maior afinidade para os receptores histaminérgicos H 1-receptor aqueles (atípicos e fenotiazinas) estão associados com um risco maior de pneumonia do que aqueles com menor afinidade para este receptor (butirofenonas)", observou.

"A sedação, como resultado de histaminérgicos H-1 do receptor de bloqueio no sistema nervoso central, é uma causa bem conhecida de problemas de deglutição, o que poderia facilitar a pneumonia por aspiração."

O estudo, realizado por uma equipe dos Países Baixos, Itália e Espanha, foi publicado em 5 de abril no Annals of Internal Medicine.

Mortalidade

Ambos os medicamentos antipsicóticos, atípicos e típicos, são freqüentemente usados para tratar transtornos psiquiátricos em pacientes mais velhos, incluindo a demência. Ambos os tipos são aprovados pela Food and Drug Administration (FDA) para o tratamento do transtorno bipolar, mania e esquizofrenia.

Embora as drogas antipsicóticas não terem sido aprovadas para uso em pacientes com demência ou psicose relacionada com demência, internos (em asilos ou casas de repouso, por exemplo), são prescritas, às vezes para, estes problemas.

Vários estudos recentes têm sugerido que o uso de antipsicóticos podem aumentar o risco para diabetes, acidente vascular cerebral, pneumonia e morte em pacientes idosos com demência.

Pneumonia é frequentemente apontada como a principal causa para o aumento da mortalidade, no entanto, dados epidemiológicos têm sido limitados.

Dr. Trifiró e seus colegas procuraram um banco de dados eletrônico que mantém registros médicos de mais de 300 práticas gerais na Holanda, que incluem visitas dos pacientes da atenção primária, internações hospitalares e visitas aos ambulatórios.

O estudo incluiu casos de pacientes residentes na comunidade, de 65 anos ou mais, que receberam uma prescrição de medicamentos antipsicóticos, pela primeira vez, entre 1996 e 2006 e teve o diagnóstico de pneumonia.

Na maioria dos casos, o antipsicótico havia sido prescrito para o tratamento de distúrbios psicológicos e comportamentais da demência ou outras psicoses agudas. Apenas 5% dos doentes estavam usando um antipsicótico para a esquizofrenia.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Idosos    Antipsicóticos    Pneumonia    Gianluca Trifiró    Centro Médico da Universidade Erasmus    Roterdã    Holanda   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
idosos    antipsicóticos    pneumonia    Gianluca Trifiró    Centro Médico da Universidade Erasmus    Roterdã    Holanda   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.