Saúde Pública
publicado em 10/02/2010 às 19h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

A forte chuva dos últimos meses em determinadas regiões do país foi um dos fatores que contribuíram para o crescimento dos casos de dengue em alguns estados no início de 2010. De dezembro de 2009 a janeiro deste ano, a incidência da doença cresceu mais do que o esperado para essa época do ano em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Rondônia e no Acre.

O coordenador do Centro de Informação Estratégica de Vigilância em Saúde de Mato Grosso, Aparecido Marques, explica que o aumento da chuva há quatro meses favorece a proliferação dos criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, principalmente em locais como caixas d´água descobertas, quintais e terrenos baldios com lixo (garrafas plásticas e material de construção). " Choveu praticamente todos os dias" , disse Marques em entrevista à Agência Brasil.

A Secretaria de Saúde de Mato Grosso contabilizou 9.209 casos de dengue até o último dia 3 de fevereiro - aumento de 728,89% em relação a janeiro de 2009. Foram registradas 11 mortes e 264 casos graves. A capital Cuiabá e a cidade de Várzea Grande, região metropolitana, registram o maior número de notificações.

Para controlar a dengue, agentes de saúde têm sobrevoado as regiões mais afetadas para identificar os criadouros e promovido mutirões para recolhimento o lixo. O governo estuda, segundo o coordenador, distribuir tampas para caixa d´água de famílias sem condições financeiras. O Ministério da Saúde enviou equipes ao estado para a revisão dos planos de emergência. A secretaria estadual negocia com os hospitais particulares a liberação dos leitos ociosos para os doentes, com o objetivo de ampliar a rede de atendimento.

Em Goiás, a gerente de Vigilância Epidemiológica, Magna de Carvalho, também confirma a influência das chuvas no aumento de casos no estado. Foram 15.241 notificações da doença contra 2.530 em relação a janeiro de 2009, o equivalente a um crescimento de 502,4%. Ela relatou que em meses considerados secos, como agosto, choveu mais do que o habitual.

As ações de combate em Goiás incluem reforço dos fumacês (veículos com equipamentos de nebulização usados para matar o mosquito) e a instalação de tendas do lado de fora dos principais hospitais para os primeiros atendimentos às pessoas com suspeita de dengue. O Ministério da Saúde enviou lotes de remédios (paracetamol) e sais para reidratação.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL
   Palavras-chave:   Dengue    Aedes aegypti    Transmissor    Proliferação    Criadouro    Aparecido Marques   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Dengue    Aedes aegypti    Transmissor    Proliferação    Criadouro    Aparecido Marques   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.