Saúde Pública
publicado em 29/10/2013 às 18h24:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Stock Photo
Objetivo do estudo é criar um novo método de fertilização in vitro que se baseia em escolher apenas espermatozóides maduros e férteis
  « Anterior
Próxima »  
Objetivo do estudo é criar um novo método de fertilização in vitro que se baseia em escolher apenas espermatozóides maduros e férteis

Pesquisadores da Universidade de Leeds acreditam que o esperma pegajoso poderia ser a chave para um maior sucesso dos tratamentos de fertilização in vitro.

O maior ensaio clínico realizado até o momento nesta área foi lançado nesta segunda-feira (28), primeiro dia da Semana Nacional de Conscientização sobre Infertilidade no Reino Unido.

O objetivo é criar um novo método de fertilização in vitro que se baseia em escolher apenas espermatozóides maduros e férteis com capacidade de ultrapassar uma placa de revestimento especial.

O revestimento é feito de ácido hialurônico, uma substância que ocorre naturalmente e é frequentemente utilizada em tratamentos clínicos com lubrificantes, por exemplo, nas articulações, incluindo os joelhos, e pela indústria cosmética, como componente de produtos de rejuvenescimento, como cremes para a pele.

Segundo David Miller, responsável pelo estudo, "é fascinante que uma substância com essas propriedades lubrificantes fortes possa ser pegajosa para alguns, mas não todos os espermatozoides. Esta propriedade paradoxal é o que dá ao esperma maduro e saudável a capacidade de agarrar-se ao revestimento que envolve o óvulo."

Em média, três em cada quatro ciclos de tratamento de fertilização in vitro para casais acabam em fracasso. O estudo vai testar este novo método de seleção na clínica de reprodução assistida, comparando-o com os métodos existentes.

Especialistas da Universidade de Leeds, juntamente com colegas dos laboratórios de pesquisa na Sheffield University, Universidade de São Paulo (USP) e Universidade de Queen's, em Belfast, também vão investigar se este novo método de seleção baseado na viscosidade do esperma funciona, minimizando o risco de injeção de um espermatozóide que possa levar um DNA danificado até o óvulo.

O objetivo é recrutar 3.7 mil casais em 14 unidades de reprodução assistida no Reino Unido.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Esperma pegajoso    Esperma    Fertilização in vitro    Universidade de Leeds    David Miller   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
esperma pegajoso    esperma    fertilização in vitro    Universidade de Leeds    David Miller   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.