Ciência e Tecnologia
publicado em 15/10/2013 às 11h06:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Campos elétricos de pulsos-curtos e de alta intensidade são usados para desinfecção e destruição de tumores sólidos, seletivamente danificando as membranas celulares e preservando a estrutura dos tecidos. Este fenômeno é usado nas pesquisas como um fator chave na regeneração dos tecidos sem cicatrizes.

O enigma das cicatrizes tem intrigado a mente humana por milhares de anos. Qualquer órgão ou tecido após a lesão grave forma uma cicatriz. Os mecanismos pelo quais há a formação de cicatrizes não são conhecidos e as terapias disponíveis para bloquear a formação da cicatriz são muito limitadas.

Agora, uma equipe baseada no Centro de Engenharia em Medicina do Hospital Geral de Massachusetts descobriu campos elétricos conseguem destruir todas as células nos tecidos da pele, mas levam a regeneração completa sem cicatrizes. Estes campos elétricos de pulsos ??fortes, mas curtos, matam seletivamente as células, preservando a estrutura do tecido da matriz extracelular, incluindo o fornecimento de sangue local. Condições necessárias para o crescimento do tecido saudável e regeneração funcional.

Segundo Alexandre Golberg, autor principal do estudo "nós comparamos esta técnica com queimaduras térmicas e encontramos muitos aspectos diferentes pós-lesão, tanto em termos da extensão do dano quanto com relação às dinâmicas de recuperação."

Atualmente, os campos elétricos pulsados (CEP) ??são usadas principalmente para a desinfecção e ablação de tumores sólidos. Estes campos matam seletivamente as células no tecido presumivelmente através de um mecanismo denominado eletroporação irreversível. Após exposição aos campos, aparecem grandes poros nas membranas celulares que conduzem eventualmente à morte celular.

"Anteriormente, a regeneração sem cicatrizes só foi observada em anfíbios adultos e precocemente em fetos de mamíferos, os quais não têm uma resposta imunitária adaptativa. Embora os ratos usados nesta pesquisa tivessem um sistema imunitário adaptativo intacto, fomos capazes de gerar a regeneração da pele sem cicatrizes nestes mamíferos adultos. Estudo mais aprofundados desta técnica vai nos ajudar a compreender melhor o mecanismo de cicatrização " , diz Martin L. Yarmush, integrante do estudo.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
cicatrização    processo de cicatrização    cicatriz    formação de cicatriz    Hospital Geral de Massachusetts    Alexandre Golberg    saúde   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.