Ciência e Tecnologia
publicado em 03/10/2013 às 09h51:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Joseph Xu/UM Communications & Marketing
Foto: Joseph Xu/UM Communications & Marketing
Foto: Joseph Xu/UM Communications & Marketing
Pesquisadores criaram um filtro microfluídico que pode capturar células cancerosas do sangue Equipe de pesquisa durante os experimentos em laboratório Chip também pode apoiar o crescimento das células canceríginas para posterior análise
  « Anterior
Próxima »  
Pesquisadores criaram um filtro microfluídico que pode capturar células cancerosas do sangue
Equipe de pesquisa durante os experimentos em laboratório
Chip também pode apoiar o crescimento das células canceríginas para posterior análise

Um chip microfluídico desenvolvido na Universidade de Michigan consegue capturar células cancerígenas no sangue, abrindo possibilidade para o diagnóstico precoce da doença, além do acompanhamento dos tratamentos, sem submeter os pacientes à biópsia tradicional.

"Se conseguirmos implementar esta tecnologia, vamos alcançar um grande avanço na criação de novos medicamentos contra o câncer e revolucionar o tratamento", disse Max Wicha, um dos responsáveis pelo estudo.

Para testar o dispositivo, a equipe usou amostras de um mililitro de sangue através da câmara fina do chip. Mesmo quando se tinha adicionado apenas três a cinco células cancerosas entre 5 a 10 bilhões de células sanguíneas normais o chip conseguiu obter sucesso na detecção das células doentes. Nas 10 análises realizadas, a média de captura foi de 73% das células de câncer. Na metade dos testes, o chip capturou todas as células tumorais.

Separar as células tumorais das normais, principalmente em estágios iniciais da doença, é um dos grandes desafios da medicina. "Este nível de análise vai nos ajudar a compreender os mecanismos biológicos básicos que levam à metástase das células cancerosas, a principal causa de morte dos pacientes." afirmam os pesquisadores.

O novo chip pode capturar células cancerosas da mama, do pâncreas e do pulmão e deve começar a ser comercializado em três anos.

Funcionamento

Os novos chips microfluidos funcionam como "densas florestas de cadeias moleculares", cada uma equipada com um anticorpo para "agarrar" as células cancerosas.

As pesquisas envolveram o engenheiro elétrico Hyeun Joong Yoon. Ele começou com uma base de silício e acrescentou uma grade de cerca de 60 mil formas de ouro planas, como as flores de quatro pétalas, cada uma mais fina que um fio de cabelo.

As flores de ouro atraem naturalmente um material chamado óxido de grafeno. Através desta formação de camadas a equipe consegui desenvolver cadeias moleculares densas para capturar o tumor. "É quase como se cada grafeno tivesse muitos nano-braços para capturar células", disse o professor de engenharia química Sunitha Nagrath.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Biópsia líquida    chips    chips microfluídicos    capturar células tumorais circulantes    células tumorais do sangue    células tumorais       
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.