Saúde Pública
publicado em 17/09/2013 às 11h22:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Wilson Dias/ABr
Fiscais de saúde examinam galinhas de fazenda para prevenção de gripe aviária. Organização recomenda vigilância permanente e uma restruturação dos mercados para combater a doença
  « Anterior
Próxima »  
Fiscais de saúde examinam galinhas de fazenda para prevenção de gripe aviária. Organização recomenda vigilância permanente e uma restruturação dos mercados para combater a doença

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) lançou um alerta mundial, afirmando que o vírus da gripe aviária pode ressurgir na próxima temporada de gripe.

A FAO afirmou que os vírus H7N9 e H5N1 continuam representando uma séria ameaça à saúde de humanos e animais. Especialistas internacionais recomendam vigilância e uma restruturação dos mercados para combater a ameaça.

O veterinário-chefe da FAO, Juan Lubroth, afirmou que o mundo está mais preparado do que nunca para responder a uma emergência com o vírus da gripe aviária. Ele falou também sobre a importância da vigilância das autoridades de saúde.

"A vigilância é indispensável. Os serviços veterinários têm que ter o conhecimento de que o H5N1 ainda tem muita atividade em partes da Ásia e no Egito. E, agora, temos o problema do H7N9, que não tem o mesmo caráter de virulência."

Lubroth citou que o vírus da gripe aviária continua atingindo as aves domésticas. Na sua opinião, é necessário continuar com os esforços de combate ao vírus, não só nos países mais afetados, mas também nos Estados vizinhos com fortes ligações comerciais.

Ele disse, ainda, que o cenário pode se tornar mais grave em relação ao H7N9, já que ele não causa nenhum sinal clínico nas aves, dificultando a detecção.

A FAO e a Agência americana para o Desenvolvimento Internacional (Usaid) afirma que é necessário mais trabalho para combater os vírus. A curto prazo, isso inclui uma contínua vigilância.

Segundo as organizações, a emergência no combate ao problema serve como um aviso de que as novas ameaças de doenças não representam uma exceção, mas sim, uma consequência previsível de acontecimentos.

Ainda sobre a longa luta contra o H7N9 e outros vírus, a FAO e a Usaid querem que os países invistam na melhoria do sistema de compra e venda de aves.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
gripe aviária    H7N9    H5N1    Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação    FAO    Usaid    Juan Lubroth    Saúde   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.