Geral
publicado em 20/08/2013 às 15h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Cientistas da Universidade McMaster, no Canadá, demonstraram que a fitoterapia chinesa Ji-Sui-Kang (JSK), dada sistematicamente a ratos por três semanas após a lesão medular, melhora a função locomotora, reduz o dano tecidual e preserva a estrutura das células neurais em comparação com ratos controle.

O relatório também mostra que JSK pode primeiro agir para reduzir a inflamação e a apoptose celular, ou morte programada e aumentar a oferta de oxigênio local, enquanto, mais tarde, parece restaurar a função e promover a regeneração do tecido danificado.

Apesar de ervas medicinais chinesas terem sido tradicionalmente usadas para uma variedade de doenças, a justificativa para o seu uso se baseia mais em evidência anedótica do que em resultados de experimentos controlados modernos.

"Uma série de relatos de praticantes da medicina chinesa indicam que o tratamento com uma nova formulação à base de plantas, JSK, por períodos de uma semana ou três meses melhorou a recuperação funcional. Nosso estudo fornece uma base importante e necessária para estudos de JSK", explica o co-investigador principal Shucui Jiang.

Neste estudo, os ratos começaram o tratamento com JSK imediatamente após sofrerem a lesão medular. Dentro de sete dias, a função motora do membro posterior era significativamente melhor em ratos tratados com JSK em comparação com aqueles que receberam apenas a solução salina.

Ratos tratados com JSK continuaram a ter uma melhor função motora do que os controles durante todo o período de teste de 21 dias e os animais tratados pareceram apoiar seu peso melhor e ter mais movimentos coordenados.

Quando os investigadores examinaram as amostras histológicas da medula espinal, eles descobriram que a arquitetura da medula espinal foi melhor preservada nos animais que receberam JSK e que o tamanho da área da lesão era significativamente menor sete dias após a lesão.

Animais tratados com JSK também apresentaram axônios mais intactos e mielina nas áreas lesadas em relação aos controles.

JSK também aumentou a expressão da proteína 43 associada de crescimento (GAP43), um marcador de desenvolvimento neuronal e a regeneração axonal e neuroglobulin, proteína encontrada em neurônios cerebrais que é pensada para ajudar os neurônios a sobreviverem e se recuperar depois do trauma.

"Nossos dados sugerem que JSK pode melhorar a recuperação dos tecidos, reduzindo os inibidores de crescimento celular e promovendo a proliferação de células na medula espinhal lesionada", conlcui o co-investigador principal Michel P. Rathbone.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Ervas chinesas    Lesão na medula    Fitoterapia    Universidade McMaster    Shucui Jiang   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Ervas chinesas    lesão na medula    fitoterapia    Universidade McMaster    Shucui Jiang   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.