Geral
publicado em 18/08/2013 às 13h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Spaxiax/Foto Stock
Plantas como aipo, alcachofra, ervas e orégano contêm substâncias que matam as células cancerosas
  « Anterior
Próxima »  
Plantas como aipo, alcachofra, ervas e orégano contêm substâncias que matam as células cancerosas

Cientistas da Universidade de Illinois, nos EUA, descobriram que plantas como aipo, alcachofra, ervas e orégano contêm substâncias que matam as células cancerosas pancreáticas humanas em laboratório.

Os resultados mostraram que as substâncias apigenina, luteolina e flavonoides inibiram uma enzima importante ligada à doença.

"Sozinha a apigenin induziu a morte celular em duas linhas de células humanas do câncer pancreático. No entanto, recebemos os melhores resultados quando nós pré-tratamos as células cancerosas com apigenina por 24 horas e, em seguida, aplicamos o quimioterápico gemcitabina por 36 horas", afirma a líder da pesquisa Elvira de Mejia.

Segundo os pesquisadores, o truque parece ser usar os flavonoides como um pré-tratamento, em vez de aplicá-lo junto com o medicamento quimioterápico ao mesmo tempo.

"Mesmo que o tema ainda seja controverso, nosso estudo indicou que tomar suplementos antioxidantes no mesmo dia de medicamentos quimioterápicos pode anular o efeito dessas drogas", afirma de Mejia.

"Isto acontece porque os flavonoides podem atuar como antioxidantes. Uma das maneiras que as drogas quimioterápicas matam as células é baseada na sua atividade pró-oxidante, o que significa que os flavonoides e os medicamentos quimioterapêuticos podem competir uns com os outros quando são introduzidos ao mesmo tempo", explica a pesquisadora.

Os cientistas descobriram que a apigenina inibiu uma enzima chamada de glicogênio sintase quinase-3ß (GSK-3ß), o que levou a uma diminuição na produção de genes anti-apoptóticos nas células do câncer de pâncreas. Apoptose significa que a célula cancerosa se autodestrói porque seu DNA foi danificado.

Em uma das linhas de células de câncer, a porcentagem de células em apoptose foi de 8,4% em células que não tinham sido tratadas com flavonoide a 43% em células que foram tratadas com a substância. Neste caso, nenhuma droga de quimioterapia tinha sido adicionada.

"Pacientes com câncer pancreático provavelmente não seriam capazes de comer bastante alimentos ricos em flavonoides para elevar os níveis plasmáticos sanguíneos do flavonoide a um patamar eficaz. Mas os cientistas poderiam desenvolver drogas que permitam alcançar as concentrações", afirma de Mejia.

Segundo os pesquisadores, a prevenção desta doença é outra história. "Se você comer um monte de frutas e legumes em toda a sua vida, você vai ter a exposição crônica a esses flavonoides bioativos, o que certamente ajudaria a reduzir o risco de câncer", conclui de Mejia.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Flavonoides    Aipo    Alcachofra    Câncer de pâncreas    Universidade de Illinois   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Flavonoides    aipo    alcachofra    câncer de pâncreas    Universidade de Illinois   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.