Saúde Pública
publicado em 08/08/2013 às 11h20:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Moreira Mariz/Agência Senado
Senadores analisam Proposta de Emenda Constitucional 122/2011, que permite aos médicos militares atuarem pelo Sistema Único de Saúde (SUS)
  « Anterior
Próxima »  
Senadores analisam Proposta de Emenda Constitucional 122/2011, que permite aos médicos militares atuarem pelo Sistema Único de Saúde (SUS)

O Senado aprovou hoje (7), em dois turnos, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 122/2011, que permite aos médicos militares atenderem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa é mais uma medida para aumentar a oferta de médicos em localidades onde há carência desses profissionais.

Os médicos da Marinha, Aeronáutica e do Exército poderão atuar nos hospitais da rede pública em horário alternativo ao da jornada nos estabelecimentos militares, como durante folgas e fins de semana. Eles poderão acumular função e serem contratados por prefeituras e pelos governos estaduais.

Segundo o ministro Alexandre Padilha, que acompanhou a votação, grande parte dos médicos militares é especialista, o que coincide com as necessidades dos municípios. Padilha lembra que a maioria está justamente em regiões de fronteira, na Amazônia e no interior do país locais onde há mais dificuldade de contratar profissionais. A estimativa é 6 mil médicos militares poderão ser contratados para trabalhar no SUS.

"Essa é mais uma estratégia para levar mais médicos para as cidades onde não temos profissionais ou também que têm médicos militares, mas podem atender mais a população, que mais precisa no fim de semana, em horários de plantão. Em algumas situações, a carga horária do médico militar chega a 20 horas. Então, ele poderia, mesmo durante a semana, atender no posto de saúde, nas UPAs 24h [Unidades de Pronto Atendimento], em outros hospitais por contratos com a prefeitura ou governo estadual. Será muito bom para a população que espera médicos no posto de saúde, no pronto-socorro. Alguns são especialistas, pode ser uma oferta de especialistas, radiologistas, gineco-obstetras e tratamento do câncer", disse Padilha.

Para a votação no Senado, os líderes partidários fizeram acordo para quebra de interstícios, o que permitiu que a PEC fosse apreciada em dois turnos em um único dia. Agora, ela segue para a Câmara, onde também precisará ser votada em dois turnos. Se houver alterações, a matéria retorna ao Senado para última análise antes da promulgação.

Com informações da Agência Brasil e Agência Senado

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Mais médicos    Médicos militares    Militares no sus    Médicos militares no sus    PEC122/201    Saúde   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Mais médicos    médicos militares    militares no sus    médicos militares no sus    PEC122/201    saúde   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.