Saúde Pública
publicado em 30/07/2013 às 17h13:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: UN Photo/Eskinder Debebe
Paciente recebe tratamento contra HIV/Aids na Xai-Xai Day Care Clinic, Moçambique. Acesso ao tratamento ajudou a aumentar a expectativa de vida de soropositivos
  « Anterior
Próxima »  
Paciente recebe tratamento contra HIV/Aids na Xai-Xai Day Care Clinic, Moçambique. Acesso ao tratamento ajudou a aumentar a expectativa de vida de soropositivos

Um aumento de 1000% no acesso ao tratamento com antiretrovirais ajudou a diminuir o número de mortes e a elevar expectativa de vida dos soropositivos em países africanos. Em geral, os índices de mortes por HIV/Aids cairam 40% no continente.

Os dados do relatório "Chegando a Zero" foram divulgados, nesta terça-feira (30), pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids, Unaids.

Os números

Entre 2001 e 2011, mais de 10 nações da região conseguiram reduzir as mortes de adultos soropositivos. As maiores taxas, cerca de 50%, foram alcançadas por Botsuana, Etiópia, Malauí, Namíbia, Ruanda, Zâmbia e Zimbábue.

Já Moçambique, Quênia, África do Sul e Suazilândia registraram uma queda nos casos de óbito entre 26% e 49%.

Angola, Lesoto e Sudão do Sul estão no fim da lista com redução de 5% a 25%. Já em Uganda e Tanzânia, houve um leve aumento de contaminações.

Tuberculose relacionada ao HIV

Uma outra boa notícia é a queda de quase 35% dos óbitos por tuberculose relacionada ao HIV. De 2005 a 2012, o número de pessoas com acesso a tratamento saltou de 625 mil para 6,3 milhões. Apesar de a cobertura ter ultrapassado 80% em países como Suazilândia, Ruanda e Namíbia, Angola e Moçambique continuam com as menores taxas nesta área (menos de 60%).

De acordo com o relatório do Unaids, os casos de novas infecções entre adultos de 15 a 49 anos caiu em mais de 30%. Já entre crianças, houve uma redução superior a 50%. Um outro passo positivo foi o aumento de serviços de saúde para prevenir a contaminação vertical, de mãe para bebês, que atingiu quase 700 mil grávidas, 100 mil a mais que no ano anterior.

Mulheres jovens

Segundo dados do Unaids, mulheres jovens são as mais afetadas pelo HIV. Somente em 2011, foram notificados 450 mil novos casos de contaminação com o vírus da Aids. A prevalência entre as africanas de 15 a 24 anos é de 4,5%, mais que o dobro do índice de homens na mesma faixa etária.

O relatório também inclui as diretrizes divulgadas pela OMS no mês passado, recomendando que as pessoas com HIV comecem a terapia com os antiretrovirais o mais cedo possível.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Chegando a Zero    Mortes por HIV/Aids    HIV/Aids    HIV    Aids    Africa    Continente africano    Organização Mundial da Saúde      
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Chegando a Zero    mortes por HIV/Aids    HIV/Aids    HIV    Aids    Africa    continente africano    Organização Mundial da Saúde       
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.