Ciência e Tecnologia
publicado em 03/06/2013 às 18h30:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: B.A. Rupert/Missouri S&T
Dr. Yinfa Ma (a dir.), envolvido no processo de pesquisa
  « Anterior
Próxima »  
Dr. Yinfa Ma (a dir.), envolvido no processo de pesquisa

Pesquisadores da Missouri Science and Technology University, nos EUA, desenvolveram um novo método de rastreio que usa a urina para diagnosticar o câncer de mama.

O exame também determina a gravidade da doença antes que ela possa ser detectada por meio da mamografia.

O líder da pesquisa Yinfa Ma e seus colegas usaram um dispositivo chamado P-scan, para detectar a concentração de determinados metabolitos chamado pteredines em amostras de urina. Estes marcadores estão presentes na urina de todos os seres humanos, mas concentrações anormalmente elevadas podem indicar a presença de câncer.

O exame rastreia seis pteridinas e um composto específico, chamado oncopterina. Ma acredita que os níveis continuam a aumentar à medida que o câncer avança, o que permite um exame mais preciso.

"A tecnologia da mamografia não é sensível. Alguns cânceres precoces não podem ser detectados pelo exame tradicional. Se esta tecnologia P-Scan funcionar, será muito fácil incorporá-la em rastreios físicos regulares. A paciente entrega a urina e, 10 minutos depois, nós temos um resultado. Se isso funcionar, será uma ferramenta de diagnóstico incrível," afirma Ma.

P-Scan

O P-scan funciona utilizando um capilar para levar uma pequena amostra de urina para dentro do dispositivo, separar diferentes moléculas de pteredine e, em seguida, passar a amostra através de uma fonte de luz.

Os pesquisadores, então, usar um espectrofotômetro para identificar e medir os pteredines na amostra.

"As células cancerosas crescem muito mais rapidamente do que as células normais. Então, elas liberam mais resíduos através da urina e começamos a ver um aumento nos níveis de metabólitos", explica Ma.

O pesquisador acredita que estes marcadores são indicadores de tipos específicos de câncer e ele espera provar isso em estudos futuros.

A equipe tem obtido bons resultados em testes limitados e agora está expandindo testes em um estudo maior para demonstrar que a técnica funciona. Este estudo cego faz parte do processo de validação exigido pela FDA para, eventualmente, tornar o P-Scan disponível em clínicas de todo o país como um teste barato, não invasivo que pode ser usado durante exames físicos de rotina.

Em abril, Ma começou um ensaio clínico com 300 pacientes com câncer de mama e um grupo de 100 indivíduos que foram clinicamente testados e considerados isentos de Controle do Câncer. Ele espera concluir o estudo dentro de um ano.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Câncer de mama    Exame de urina    Mamografia    Método de rastreio    P-scan    Missouri Science and Technology University    Yinfa Ma   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.