Geral
publicado em 27/05/2013 às 12h11:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Weill Cornell Medical College
Stefan Worgall, autor sênior do estudo
  « Anterior
Próxima »  
Stefan Worgall, autor sênior do estudo

Pesquisadores da Weill Cornell Medical College e do Columbia University Medical Center, nos EUA, descobriram uma mutação genética que causa asma em crianças.

Os resultados sugerem que o excesso do gene ORMDL3 está ligado a cerca de 30% dos casos de asma na infância.

O gene é responsável por interromper a síntese de moléculas de lipídeos (conhecido como esfingolípidos). A equipe ainda não sabe ao certo como a diminuição da produção dessas moléculas causa a asma, mas os resultados do estudo indicam claramente a existência de uma ligação.

Segundo os pesquisadores, o estudo revelou um caminho completamente original para a asma que não tem nada a ver com alergenos ou inflamação.

"Normalmente, a asma é considerada uma doença inflamatória, ou uma reação a um alérgeno. Nosso modelo mostra que a asma pode resultar da redução na quantidade de um tipo de esfingolípidos. Esta é uma via completamente nova para a patogênese da asma. Nossas descobertas não são apenas importantes na compreensão da doença, mas fornecem uma base para o desenvolvimento de novas terapias, especialmente agentes com base no genótipo de um paciente", afirma o autor sênior do estudo, Stefan Worgall.

Em 2007, os cientistas descobriram que a mutação do gene ORMDL3 podia aumentar o risco de desenvolver asma, tanto quanto 80 % em estudo que incluiu mais de 2 mil crianças.

Os pesquisadores usaram modelos de ratos para determinar se a produção esfingolípidos pode ser conectada a asma. Eles descobriram que a inibição de uma enzima crucial para a síntese dessa molécula, denominada serina palmitoil-CoA-transferase (SPT), provocou asma nos ratos.

A equipe acredita que terapias que contornam o efeito do genótipo ORMDL3 podem ser eficazes para doentes asmáticos.

O próximo passo dos pesquisadores é trabalhar no sentido de desenvolver estas novas terapias

A pesquisa foi descobria na revista Science Translational Medicine.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Asma    Asma infantil    Mutação genética    Alergenos    Gene ORMDL3    Weill Cornell Medical College    Stefan Worgall   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Asma    asma infantil    mutação genética    alergenos    gene ORMDL3    Weill Cornell Medical College    Stefan Worgall   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.