Ciência e Tecnologia
publicado em 25/05/2013 às 10h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Estudo de pesquisadores da Oregon Health & Science University, nos EUA, pode ajudar a criar uma vacina anti-HIV eficaz antes, e talvez após a infecção.

A nova abordagem garante que o corpo reaja de forma eficaz quando infectado com o vírus causador da Aids.

"Um dos grandes desafios no desenvolvimento de uma vacina eficaz contra o HIV é descobrir como atingir esse vírus evasivo", afirma o pesquisador Louis Picker.

Células CD8 + células T ' citotóxicas' são um componente importante do sistema imune e são particularmente importantes para os agentes patogênicos, como o HIV, que escapam facilmente de anticorpos. Elas servem como sentinelas dentro do corpo, que detectam e destroem células infectadas com vírus, realizando esta função através do reconhecimento de peptídeos virais curtos na superfície das células infectadas.

As células T são projetadas para serem bastante simples no número de diferentes peptídeos virais que reconhecem, normalmente respondendo a apenas uma parcela desses peptídeos. Isto é um problema para o controle do HIV, que é capaz de alterar seus peptídeos e, assim, escapam das respostas de células T. Na grande maioria das infecções pelo HIV, os poucos peptídeos virais reconhecidos por células T não são mais vulneráveis, e o vírus escapa.

Assim, a estratégia adotada por Picker e seus colegas foi a de tentar desenvolver uma vacina para aumentar o número de peptídeos virais que as células T reconhecem, com o raciocínio de que o aumento desta "amplitude de reconhecimento" permitiria que as células T respondessem de forma mais eficaz ao HIV.

Os pesquisadores descobriram que o citomegalovírus ou CMV, um vírus comum já carregado por uma grande porcentagem da população, pode ser a chave.

Estudos feitos com o modelo de primata não humano do HIV, chamado SIV, mostraram que uma versão modificada do CMV manipulada para expressar proteínas SIV gera células T específicas para o SIV que reconhecem três vezes mais peptídeos virais do que as células imunes geradas pelas vacinas convencionais.

Além disso, essas respostas eram totalmente diferentes das respostas convencionais, de modo que até mesmo vírus que já havia escapado respostas naturais ainda se tornaria vulnerável.

Picker e seus colegas acreditam que uma vacina contra o HIV equipada com um vetor de CMV modificado pode ser capaz de prevenir a infecção e combater de forma eficaz o vírus, mesmo se aplicada após a infecção em indivíduos com infecções suprimidas por terapia antirretroviral.

A equipe de pesquisa pretende agora utilizar esta nova informação para criar vetores CMV personalizados com uma ampla capacidade de identificar diversos componentes do HIV e, em seguida, incorporar este componente em uma vacina eficaz.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Vacina anti-HIV    HIV    Aids    Células T    Peptídeos virais    Oregon Health & Science University    Louis Picker   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Vacina anti-HIV    HIV    Aids    células T    peptídeos virais    Oregon Health & Science University    Louis Picker   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.