Geral
publicado em 22/05/2013 às 11h45:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

A exposição de crianças muito pequenas à poluição do ar provocada pelo tráfego de automóveis pode estar relacionada a um maior risco de desenvolver hiperatividade na infância, de acordo com pesquisadores da Universidade de Cincinnati, nos EUA.

A pesquisa revela que crianças expostas a maior quantidade de poluição atmosférica provocada pelo trânsito nos primeiros sete anos de vida foram aquelas que tiveram maior risco do transtorno.

"Há uma crescente preocupação com os efeitos potenciais da poluição do ar relacionada ao tráfego de veículos sobre o cérebro em desenvolvimento. Esse impacto não é totalmente compreendido devido a estudos epidemiológicos limitados. Para nosso conhecimento, esta é a maior pesquisa a investigar a exposição precoce à poluição do ar relacionada com o tráfego e os resultados neurocomportamentais na idade escolar", afirma o autor da pesquisa Nicholas Newman.

Newman e seus colegas coletaram dados do Estudo de Alergia Infantil e Poluição Atmosférica de Cincinnati, levantamento que analisou os efeitos da poluição sobre o risco de alergia infantil.

Eles acompanharam 576 crianças desde o nascimento até elas completarem sete anos, idade em que passaram por uma avaliação comportamental. Das 762 crianças inicialmente incluídas no estudo, 576 passaram pela análise final aos 7 anos.

Os resultados mostraram que as crianças expostas a maior quantidade de poluição atmosférica provocada pelo trânsito nos primeiros sete anos de vida foram aquelas que tiveram um maior risco de apresentar 'situação de risco' para hiperatividade, o que significa que elas precisam ser monitoradas com frequência para que não desenvolvam sintomas do transtorno.

"Vários mecanismos biológicos podem explicar essa relação doença-poluição, entre eles o estreitamento dos vasos sanguíneos e a toxidade presente no córtex pré-frontal do cérebro, problemas provocados por poluentes. A poluição pode causar problemas do neurodesenvolvimento, mas é um fator de risco modificável", conclui Newman.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Poluição do trânsito    poluição do ar    poluição atmosférica    hiperatividade    Universidade de Cincinnati    Nicholas Newman   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.