Artigo
publicado em 20/05/2013 às 13h01:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: CFM
Desiré Carlos Callegari, presidente da Sociedade de Anestesiologia do Estado de São Paulo (SAESP) e diretor do CFM
  « Anterior
Próxima »  
Desiré Carlos Callegari, presidente da Sociedade de Anestesiologia do Estado de São Paulo (SAESP) e diretor do CFM

É extremamente apropriado o tom duro adotado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) ao contrapor a proposta irresponsável do Governo de promover a " importação" de médicos estrangeiros e de brasileiros formados em escolas de outros países sem a devida revalidação de seus títulos.

A solidez dos argumentos apresentados torna a entidade a principal opositora de uma ação que carece de consistência e pode ser classificada como um golpe contra a qualidade da assistência e a garantia de segurança da saúde de todos os brasileiros, especialmente os mais carentes, que mais dependem dos serviços oferecidos pela rede pública.

Ao defender esta tese a necessidade de " importar" médicos a qualquer custo -, o Governo fere a legislação e abandona seus compromissos constitucionais, oferecendo ao cidadão acesso a uma pseudoassistência. Ora, porque não investir em projetos de longo prazo em lugar de defender soluções temerárias e temporárias?

A resposta pode estar na preocupação com o desempenho dos candidatos da base aliada nas eleições de 2014. Os marqueteiros de plantão devem raciocinar que ganhos com votos serão maiores se forem anunciadas decisões midiáticas e de curto prazo ao invés de cumprir a cartilha do planejamento. Pena que interesses menores, de cunho político-eleitoreiro, estejam sendo colocados acima do que realmente merece atenção.

No entanto, a repercussão positiva a favor do posicionamento adotado pelo CFM e pelos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) dentre os quais o Cremesp - mostra que setores importantes da sociedade perceberam a ardilosa manobra arquitetada a partir da Esplanada dos Ministérios.

Alguns dos principais veículos de comunicação Veja, Isto É, TV Globo, Correio Braziliense, Folha de São Paulo, entre outros demonstraram sua concordância com o CFM em reportagens e editoriais. Fica evidente que se o Governo quiser prosseguir com seu projeto terá que enfrentar a resistência dos defensores da boa prática médica e da qualidade no atendimento. Mas o apoio não vem apenas da imprensa.

Coincidentemente, o próprio Judiciário reforçou o ponto de vista dos conselhos de medicina na mesma semana em que veio a tona a proposta do Governo. Uma sentença do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao julgar recurso impetrado pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) defende a manutenção e a rigidez dos critérios para a revalidação de diplomas estrangeiros de medicina.

A decisão foi tomada pela unanimidade dos ministros da 1ª Seção do STJ, que conferiram às instituições de ensino o direito de aplicar provas para avaliar os conhecimentos do interessado antes de analisar a documentação e conceder o aval indispensável para o médico formado no exterior. Essa sentença repercute, inclusive, sobre os demais processos que tramitam no Judiciário brasileiro sobre o mesmo assunto.

Todos estes elementos dão força à solução do CFM para dificuldade de acesso à assistência nas áreas de difícil provimento. O Brasil precisa de médicos bem formados, bem preparados, bem avaliados e com estímulo para o trabalho. Portanto, a criação de uma carreira de Estado para o médico do Sistema Único de Saúde (SUS) - com ênfase na atenção primária (incluindo previsão de infraestrutura e de condições de trabalho adequadas) é a única forma de assegurar a presença de profissionais nas áreas distantes e nas periferias dos grandes centros.

Em síntese, cabe ao Governo assumir sua responsabilidade de dotar o Estado de medidas estruturantes, sem apelar para o caminho do imediatismo midiático, improvisado e oportunista. Tratar a população de maneira desigual é sinal de desconsideração e de desrespeito para com a cidadania.

Fonte: CFM
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
O oportunismo midiático do Governo no caso da importação de médicos estrangeiros    CFM    Conselho Federal de Medicina    Conselho Regional de Medicina    Sistema Único de Saúde    SUS    Universidade Federal do Mato Grosso do Sul    UFMS    Superior Tribunal de Justiça       
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.