Ciência e Tecnologia
publicado em 11/05/2013 às 11h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Agência Brasil
Algoritmo aumenta a exatidão na estimativa da glicose no sangue.
  « Anterior
Próxima »  
Algoritmo aumenta a exatidão na estimativa da glicose no sangue.

Pesquisadores da Universidade Politécnica de Valência, nos EUA, desenvolveram um novo método para o monitoramento contínuo da glicose em pacientes com diabetes melitus tipo 1.

A técnica se baseia em um novo algoritmo de calibração, adaptado para os dispositivos de tratamento existentes utilizados em doentes diabéticos e pode aumentar a exatidão na estimativa da glicose no sangue e ajuda a regular a liberação controlada e automática de insulina.

Os resultados foram publicados na revista Biomedical and Health Informatics.

"Nosso método é mais um passo no desenvolvimento de um "pâncreas artificial" para a automação do controle glicêmico, ajudando a melhorar a qualidade de vida de pacientes com diabetes melitus tipo 1", afirma o pesquisador Jorge Bondia.

Atualmente, o paciente é submetido a tratamento intensivo com insulina, ou múltiplas injeções diárias ou infusão contínua usando bombas de insulina. Entretanto, a terapia insulínica intensiva é contrabalançada pelo aumento de episódios de hipoglicemia, o que pode ter consequências graves, como coma diabético. Assim, o monitoramento da glicose no sangue é um elemento indispensável para o tratamento e controle dos diabéticos.

Este tipo de controle é baseado na medição da concentração de glicose no fluido intersticial, diferente do compartimento tradicional, ou seja, no plasma. Para a realização desses estudos são necessários algoritmos de calibração que são fundamentais para o cálculo correto da glicose no sangue.

Algoritmos atuais são baseados em técnicas de regressão linear, assim, a informação dinâmica entre os diferentes compartimentos biológicos é ignorada, o que pode causar erros de estimativas.

O método desenvolvido pelos pesquisadores reduzir esses erros de estimativa. Ele consiste em um algoritmo baseado em um conjunto de avaliadores treinados, utilizando uma população de pacientes que fornecem a estimativa de glicose no plasma. "Nosso objetivo com este projeto é ajudar que, no futuro, o monitoramento contínuo da glicose deixe de ser complementar à medição capilar", afirma Bondia.

A equipe de pesquisa validou a nova tecnologia em estudos clínicos desenvolvidos com um total de 42 pessoas, 8 saudáveis e 34 diabéticos tipo 1. Esses estudos foram concluídos no ano passado.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Diabetes diabetes    tipo 1    o algoritmo de calibração    da Universidade Politécnica de Valência    Jorge Bondia   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.