Geral
publicado em 10/05/2013 às 19h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Pesquisadores do Harvard Stem Cell Institute e do Brigham and Women's Hospital, nos EUA, descobriram que o tratamento com um hormônio do rejuvenescimento pode reverter os sintomas de insuficiência cardíaca em camundongos.

Os resultados lançam luz sobre as causas de insuficiência cardíaca relacionada com a idade e pode oferecer uma estratégia muito necessária para o tratamento desta doença em seres humanos.

A insuficiência cardíaca é uma das condições mais debilitantes relacionadas com o envelhecimento e não existem terapias específicas para a forma mais comum da doença em doentes idosos.

Os resultados foram descritos na revista Cell.

A equipe, liderada por Amy Lee, demonstrou que um hormônio no sangue conhecido como fator de diferenciação de crescimento 11 (GDF11), que diminui com a idade, quando injetado em ratos velhos causou uma reversão dos sinais de envelhecimento do coração.

"Houve evidência de que fatores que circulam na corrente sanguínea em mamíferos podem rejuvenescer os tecidos, mas eles não foram identificados. Este estudo encontrou o primeiro fator desse tipo", afirma o autor sênior do estudo Richard Lee.

A insuficiência cardíaca é uma condição na qual o coração não consegue bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades do corpo, causando falta de ar e fadiga, e está se tornando cada vez mais prevalente em idosos. A forma mais comum de insuficiência cardíaca relacionada com a idade envolve espessamento do tecido do músculo do coração. Mas, até agora, as causas moleculares e estratégias de tratamento potenciais para essa condição foram indescritíveis.

Para identificar moléculas no sangue responsáveis pela insuficiência cardíaca relacionada à idade, Amy Lee e seus colegas usaram uma técnica experimental bem estabelecida: eles juntaram cirurgicamente pares de camundongos jovens e velhos assim seus sistemas circulatórios se fundiram em um. Após serem expostos ao sangue de ratos jovens, os ratos velhos experimentaram uma inversão do espessamento do tecido do músculo do coração. Os pesquisadores, então, examinaram o sangue para descobrir moléculas que mudam com a idade e notaram que os níveis do hormônio GDF11 foram menores nos ratos mais velhos comparados com ratos jovens.

Além disso, os ratos velhos tratados com injeções GDF11 experimentaram uma reversão dos sinais de envelhecimento cardíaco. As células do miocárdio tornaram-se menores, e a espessura da parede do músculo do coração assemelhava-se a de ratos jovens. "Se algumas doenças relacionadas à idade são devido à perda de um hormônio circulante, então é possível que restaurar os níveis desse hormônio possa ser benéfico. Nós estamos esperando que algum dia, a insuficiência cardíaca humana relacionada com a idade possa ser tratada dessa maneira", concluem os pesquisadores.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Hormônio do rejuvenescimento    insuficiência cardíaca    Harvard Stem Cell Institute    Amy Lee   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.