Geral
publicado em 02/05/2013 às 10h06:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Mark A. Philbrick/Brigham Young University
Professora Emily Bates, responsável pelo estudo
  « Anterior
Próxima »  
Professora Emily Bates, responsável pelo estudo

Pesquisadores da University of California e da Brigham Young University, ambas nos EUA, identificaram uma mutações genética que torna as pessoas mais suscetíveis à enxaqueca.

O estudo é a primeira demonstração de uma causa genética para a enxaqueca comum e é um importante passo na busca de uma cura.

A mutação descoberta ocorre no gene CKIdelta e, de acordo com o líder da pesquisa Louis Ptácek, é a primeira vez que a mutação de um pedaço do DNA humano é vista como uma das causadoras da espécie mais comum de dor de cabeça, que afeta de 10 a 20% da população.

Os cientistas, entre eles a pesquisadora Emily Bates, analisaram primeiro a genética de duas famílias em que a enxaqueca era comum, e descobriram que uma proporção significativa de pacientes com enxaqueca nas famílias ou tiveram a mutação ou eram descendentes de um portador da mutação.

Em laboratório, o grupo demonstrou que a mutação afeta a produção da enzima caseína quinase I delta, que realiza uma série de funções vitais no cérebro e no corpo. "Isso nos diz que a mutação tem consequências bioquímicas reais", afirma Ptácek.

Na mesma pesquisa, eles conseguiram simular a mutação genética em camundongos e tentaram medir a resistência à dor nos animais, outro sintoma da enxaqueca.

Para este fim, foi aplicada nitroglicerina nos ratos para que eles ficassem menos resistentes à dor a determinados estímulos. Aqueles roedores com a mutação genética se revelaram mais sensíveis que os camundongos normais à dor.

A pesquisa "nos coloca um passo mais perto de compreender o percurso molecular para dor na enxaqueca. E, conforme chegamos a um entendimento mais claro, podemos começar a pensar em melhores terapias. Certas moléculas podem ser alvos para novas drogas. Há boas drogas agora, mas elas apenas ajudam alguns pacientes por algum tempo. A necessidade de melhores tratamentos é enorme", afirma o pesquisador.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Enxaqueca    Mutação genética    Gene CKIdelta    University of California    Louis Ptácek   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Enxaqueca    mutação genética    gene CKIdelta    University of California    Louis Ptácek   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.