Ciência e Tecnologia
publicado em 03/04/2013 às 12h51:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Fraunhofer IPA
Protótipo de laboratório do transdutor electro-acústico
  « Anterior
Próxima »  
Protótipo de laboratório do transdutor electro-acústico

Cientistas do Fraunhofer Institute, na Alemanha, desenvolveram um novo dispositivo capaz de melhorar a audição de pacientes com deficiências graves.

O aparelho, que é implantado por meio de uma cirurgia muito mais simples que a atual, pode se tornar acessível para um grande número de pessoas.

Os aparelhos auditivos são uma obrigação para quase uma em cada duas pessoas com mais de 65 anos na Europa, cuja audição é ruim. No caso de pacientes com deficiências auditivas graves, no entanto, aparelhos auditivos convencionais atingem os limites de sua utilidade. A audição desses pacientes só pode ser ajudada por um implante, que amplifica os sons de forma mais eficaz do que os sistemas convencionais e possui melhor qualidade de som. No entanto, aí está o obstáculo: estes implantes do ouvido médio exigem operações complexas que duram várias horas. O alto risco e a despesa da cirurgia limitam o implante desses dispositivos.

A nova solução mais simples é composta de três partes: uma caixa com um microfone e bateria; sinal óptico sem fio e transmissão de energia entre a orelha externa e média, e um transdutor eletroacústico, peça central e alto-falante do implante.

"Nosso objetivo é pegar a melhor qualidade de som de aparelhos auditivos implantáveis e combiná-la com uma cirurgia muito mais simplificada. Para implantar o nosso sistema, todos os cirurgiões têm que fazer apenas uma pequena incisão no lado do tímpano. Isto pode ser feito em ambiente ambulatorial", afirma o engenheiro Dominik Kaltenbacher.

O transdutor eletroacústico é colocado diretamente na ligação entre o ouvido médio e interno conhecido como a "janela redonda". A partir daí, transmite sinais acústicos para o ouvido interno, na forma de vibrações mecânicas amplificadas, aumentando assim a capacidade auditiva de pacientes.

Segundo os pesquisadores, apesar de o implante na ' janela redonda' não ser maior que uma cabeça de alfinete, ele pode produzir volumes de até 120 decibéis, o que é aproximadamente o barulho de uma britadeira. "Esse alto desempenho é necessário para a compreensão muito boa da fala, especialmente para sons de alta frequência, difíceis de serem entendidos por pessoas com dificuldade de audição", afirmam.

Especialistas estão testando um primeiro protótipo em laboratório. Os resultados têm sido positivos até o momento. "Os componentes individuais do aparelho auditivo foram todos desenvolvidos. O próximo passo é otimizar e montá-los", observa Kaltenbacher.

Os componentes otimizados individuais deverão estar prontos em junho deste ano, testes de todo o sistema estão previstos para 2014.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Aparelho auditivo    audição    deficiência auditiva    Fraunhofer Institute    Dominik Kaltenbacher   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.