Ciência e Tecnologia
publicado em 27/03/2013 às 13h25:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Nic Delves-Broughton/Univ. de Bath
Dr. Toby Jenkins, líder da pesquisa
  « Anterior
Próxima »  
Dr. Toby Jenkins, líder da pesquisa

Químicos da Universidade de Bath, no Reino Unido, desenvolveram um protótipo de um curativo médico que detecta os primeiros sinais da Síndrome do Choque Tóxico letal, juntamente com outras infecções em feridas de queimaduras.

Segundo os pesquisadores, a abordagem poderia salvar a vida de crianças com queimaduras graves.

Síndrome do Choque Tóxico (TSS) é uma complicação séria de infecções em queimaduras particularmente perigosas em crianças menores de quatro anos, devido ao sistema imunológico imaturo. Deixada sem tratamento, uma criança com uma queimadura relativamente pequena que desenvolve TSS pode se deteriorar rapidamente em poucas horas. Se não tratadas, 50% das crianças com a doença podem morrer.

Agora, a equipe de pesquisa, em colaboração com cientistas do Frenchay Hospital, criou um curativo que pode detectar patógenos microbianos-chave, incluindo as bactérias que causam TSS.

Eles já desenvolveram um protótipo que libera tinta de nanocápsulas desencadeadas pela presença de bactérias causadoras de doenças patogênicas. Os corantes fluorescem sob luz ultravioleta (UV), alertando os profissionais de saúde de que a ferida está infectada.

As nanocápsulas só se abrem quando as bactérias tóxicas estão presentes, não respondendo às bactérias inofensivas que vivem normalmente na pele saudável.

"Cerca de 5.000 crianças por ano na Inglaterra e País de Gales são internados ou tratados no hospital com queimaduras graves, principalmente queimaduras causadas por chá e café. O grande problema para os médicos é o diagnóstico rápido da infecção. Os métodos atuais demoram entre 24 e 48 horas para obter uma resposta para saber se a ferida está infectada. No entanto, nosso curativo causa apenas uma mudança de cor simples sob a luz UV se um patógeno ou bactéria causadora de doenças está presente na combustão, ou seja, os médicos podem rapidamente ser alertados para uma potencial infecção", explica o líder do projeto Toby Jenkins.

Segundo os pesquisadores, este novo curativo será capaz de detectar os sinais iniciais de infecção, para permitir diagnosticar e tratar a criança rapidamente. "Isso pode fazer uma diferença real para a vida de milhares de crianças", afirma a pesquisadora Amber Young.

O protótipo foi testado em amostras de pele em laboratório e atualmente está sendo otimizado. Os pesquisadores esperam começar os testes de segurança em voluntários humanos saudáveis em quatro anos.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Queimadura    Curativo    Infecção    Síndrome do Choque Tóxico    Universidade de Bath    Toby Jenkins   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Queimadura    curativo    infecção    Síndrome do Choque Tóxico    Universidade de Bath    Toby Jenkins   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.