Saúde Pública
publicado em 26/03/2013 às 18h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Estudos com uma nova vacina experimental demonstraram eficácia contra o vírus H5N1 causador da gripe aviária, de acordo com pesquisadores da Universidade de Maryland, nos EUA.

A vacina utiliza um vírus atenuado, ao invés de um vírus morto, já que vírus mortos são quebrados com produtos químicos ou calor, e eles são usados porque são mais seguros do que os vírus atenuados. Vacinas de vírus mortos contra a gripe aviária são injetadas na corrente sanguínea, já esta vacina é administrada via spray nasal, imitando o processo natural de infecção, estimulando uma resposta imune mais forte.

O perigo das atuais vacinas de vírus vivos atenuadas é que elas podem trocar material genético com outras variedades de vírus da gripe que atacam anualmente, tornando vírus potencialmente letais, mas de difícil transmissão, tais como H5, facilmente transmissíveis entre humanos.

Para eliminar esses riscos, Daniel Perez e seus colegas criaram um projeto genial. Os vírus da gripe transportam seu material genético em oito "segmentos". Quando os vírus recombinam, eles trocam segmentos. Mas cada segmento é único, todos os oito são necessários, e os vírus são impróprios se tiverem mais de oito segmentos.

A vacina baseia-se em uma versão atenuada do vírus H9, com um gene H5 adicionado a um dos segmentos do vírus H9 a fim de conferir imunidade ao vírus da gripe aviária. De acordo com os pesquisadores, isso interfere na replicação do vírus e torna a vacina mais segura.

O passo seguinte foi modificar o gene H5 para adicioná-lo à vacina. Ele foi inserido no segmento 8, no lugar do gene NS2.

A equipe ressalta que outro aspecto do projeto da nova vacina faz com que ela seja mais segura ainda, tornando o sucesso do rearranjo menos provável. Dois genes NS1 e NS2 são necessários para a replicação viral. Uma vez que, agora, eles estão separados em segmentos diferentes, qualquer rearranjo terá de incluir ambos os segmentos, em vez de apenas o segmento 8. Isto reduz consideravelmente a probabilidade de recombinação com êxito.

A pesquisa foi publicada na revista Journal of Virology.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Vírus H5N1    Gripe aviária    Vacina experimental    Universidade de Maryland    Daniel Perez   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Vírus H5N1    gripe aviária    vacina experimental    Universidade de Maryland    Daniel Perez   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.