Geral
publicado em 17/03/2013 às 11h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: TU Eindhoven/Philips Research
Mariska de Smet (a esq.) prepara os lipossomos sensíveis à temperatura
  « Anterior
Próxima »  
Mariska de Smet (a esq.) prepara os lipossomos sensíveis à temperatura

Quimioterapia local é mais eficaz na redução do crescimento de tumores. É o que revelam pesquisadores da Eindhoven University of Technology, na Holanda.

Técnica que integra ressonância magnética e ultrassom provoca efeito ainda mais forte do que a quimioterapia regular.

O uso da quimioterapia para tratar o câncer sempre causa efeitos colaterais desagradáveis. Os efeitos tóxicos do medicamento também afetam as células saudáveis, bem como as do próprio tumor. Isto leva a sintomas tais como náuseas, perda de cabelo ou redução da eficácia do sistema imunitário.

Os cientistas têm trabalhado há muitos anos na administração de medicamentos usando "veículos de entrega" guiados por imagem: partículas que transportam a medicação através do corpo até o tumor, que podem ser visualizadas após a liberação da droga. Isto permite que doses mais elevadas de medicamento sejam utilizadas, enquanto o resto do corpo do paciente não é afetado.

Sensível à temperatura

Cientistas vêm realizando pesquisas em métodos deste tipo, em que lipossomas (pequenas esferas à base de gorduras) sensíveis à temperatura agem como veículos de entrega da medicação.

Os lipossomas contêm o medicamento e um meio de contraste que é visível por meio de uma ressonância magnética. Após a injeção no sangue, os lipossomas transportam o medicamento através do corpo. A localização do tumor é identificada pela ressonância magnética, depois disso o tumor é aquecido com o ultrassom. Quando os lipossomas atingem o tumor, o aumento da temperatura faz com que ele se abra para que o medicamento e o meio de contraste sejam liberados.

Testes mostraram que o crescimento tumoral foi reduzido depois do tratamento com essa técnica. Na verdade, o efeito foi ainda mais forte do que com a quimioterapia regular.

A pesquisadora Mariska de Smet também mostrou que a quantidade de agente de contraste liberada foi um bom indicador do grau em que o crescimento do tumor foi retardado, pois quanto mais visível o contraste, maior o efeito da quimioterapia. Como a quantidade de medicamento liberada imediatamente pode ser medida, isto pode permitir que os médicos no futuro determinem rapidamente a administração de medicação adicional ou iniciem uma outra forma de tratamento.

Segundo os pesquisadores, o estudo é de natureza pré-clínica. Antes que os efeitos terapêuticos do método possam ser investigados em pacientes, certo número de dificuldades práticas ainda precisa ser ultrapassado. De Smet espera que vá demorar 10 - 15 anos antes de a nova tecnologia está disponível para uso em pacientes.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Quimioterapia    crescimento do tumor    lipossomas    Eindhoven University of Technology    Mariska de Smet   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.