Profissão Saúde
publicado em 06/03/2013 às 22h47:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

A nova resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), publicada nesta semana, regulamenta as boas práticas do funcionamento dos serviços de saúde públicos e privados de endoscopia, que realizam procedimentos endoscópicos, diagnósticos e intervencionistas.

"A resolução regulamenta todos os pontos de funcionamento da endoscopia digestiva, cria um padrão de qualidade que todos os centros terão que seguir" , afirma o endoscopista Flávio Hayato Ejima, membro da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED) e um dos elaboradores da resolução.

O texto apresenta, entre outros pontos, as classificações dos serviços de endoscopia, os processos detalhados, como o registro diário dos procedimentos endoscópicos realizados, contendo data e horário do exame, nome do paciente, data de nascimento, sexo, procedimento realizado, nome do profissional que executou o procedimento e identificação do equipamento.

Em situações emergenciais, a norma afirma que o serviço de endoscopia deve estar preparado para garantir a estabilização do paciente até que seja possível a sua remoção em condições de segurança ou a sua liberação para o domicílio.

O paciente submetido à endoscopia sob qualquer tipo de sedação ou anestesia só poderá ser liberado na presença de um acompanhante adulto. Os centros de saúde também devem exigir que o paciente com idade inferior a dezoito anos e não emancipado ou que tenha sido considerado legalmente incapaz esteja acompanhado pelo responsável legal. Todos os materiais, equipamentos, instrumentos e medicamentos que são utilizados em endoscopias estão regulamentados, bem como os ambientes necessários para as realizações dos exames.

"Vale destacar as normas referentes ao processamento de equipamentos e acessórios. Deve ser elaborado Procedimento Operacional Padrão (POP) no qual sejam detalhadas todas as etapas do processamento de equipamentos e acessórios utilizados nos procedimentos endoscópicos, respeitando a legislação referente ao uso dos agentes saneantes e as orientações contidas nos manuais de processamento, seja de limpeza, esterilização, acondicionamento, manuseio e conservação" , completa Ejima.

Os estabelecimentos têm prazo de 3 a 12 meses, dependendo da adequação, para promover as adaptações necessárias. Os novos serviços de endoscopia e aqueles que pretendem reiniciar suas atividades devem atender integralmente às exigências, previamente ao início de seu funcionamento.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
endoscopia    norma    Anvisa    Agência Nacional de Vigilância Sanitária    Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva    SOBED   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.