Geral
publicado em 03/03/2013 às 17h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Equipe de pesquisadores da Loyola University, nos EUA, desenvolveu uma proteína geneticamente modificada que reverte uma desordem da pele conhecida como vitiligo.

Testada em ratos, a abordagem mostrou efeitos semelhantes sobre a resposta imune em amostras de tecidos da pele humana.

A proteína modificada é o primeiro tratamento eficaz para o vitiligo, que provoca manchas brancas no rosto, mãos e outras partes do corpo. A equipe apresentou um pedido de patente para a proteína, e está buscando a aprovação para um ensaio clínico em humanos.

Cerca de 1 milhão de americanos têm vitiligo, e a condição afeta 1 em cada 200 pessoas no mundo. Vitiligo, que é mais perceptível em pessoas de cor, mas também pode ser angustiante para os brancos, é uma doença autoimune, em que o sistema imune fica desgastado e mata células de pigmento, que dão cor à pele.

Estudos anteriores mostraram que uma proteína chamada HSP70i desempenha um papel vital na resposta autoimune que causa a vitiligo.

HSP70i consiste de 641 blocos chamados aminoácidos. A pesquisadora I. Caroline Le Pool e seus colegas geneticamente modificaram um destes aminoácidos para criar um HSP70i mutante. Este mutante substitui a proteína HSP70i normal, invertendo assim a resposta autoimune do vitiligo.

Os pesquisadores forneceram HSP70i mutante a camundongos que desenvolveram vitiligo, e os resultados foram surpreendentes. A pele dos animais, afetada pelo vitiligo, tinha a coloração de uma barba grisalha. Mas, quando os ratinhos foram vacinados com HSP70i mutante, a pele se tornou negra novamente.

"Os ratos parecem normais", observa Le Poole. Alguns dos efeitos observados em ratos também foram notados em amostras de pele humana.

Não há nenhum tratamento eficaz a longo prazo para o vitiligo. Cremes esteroides, por vezes, devolvem um pouco de cor à pele afetada. Porém, este tratamento também dilui a pele, e pode causar manchas. Nenhum dos tratamentos existentes previne a progressão do vitiligo.

Le Poole e seus colegas afirmam que HSP70i mutante pode oferecer oportunidades potencial de tratamento para pacientes com vitiligo.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Vitiligo    Proteína modificada    HSP70i    Doença da pele    Loyola University    I. Caroline Le Pool   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Vitiligo    proteína modificada    HSP70i    doença da pele    Loyola University    I. Caroline Le Pool   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.