Ciência e Tecnologia
publicado em 26/02/2013 às 10h49:00
   Dê o seu voto:

Gel produzido pela Fiocruz pode revolucionar tratamento da leishmaniose

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Fiocruz
Previsão é de que o novo gel esteja disponível para o paciente atendido pelo SUS em quatro anos
  « Anterior
Próxima »  
Previsão é de que o novo gel esteja disponível para o paciente atendido pelo SUS em quatro anos

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) divulgou a formação de um grupo de pesquisadores para acompanhar o processo de desenvolvimento do novo gel que já está sendo considerado " um medicamento inovador contra a leishmaniose cutânea" . O novo produto, Sulfato de Paromomicina na apresentação de gel 10%, vem sendo estudado no Laboratório de Tecnologia Farmacêutica da unidade. A previsão é de que o fármaco esteja disponível para o paciente atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em quatro anos.

As pesquisas do novo gel de Paromomicina estão sendo realizadas em parceria com o Centro de Pesquisa René Rachou (CPqRR/Fiocruz Minas), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e DNDi (sigla em inglês da Iniciativa para Doenças Negligenciadas) e com o Programa de Desenvolvimento Tecnológico de Insumos para a Saúde (PDTIS/Fiocruz).

A Coordenadora de Desenvolvimento Tecnológico da Farmanguinhos, Maristela Rezende, diz que o tratamento atual está longe de ser satisfatório. " Apesar de ser considerado de primeira escolha em todo o mundo, o antimoniato de N-metilglucamina, como todos os antimoniais pentavalentes, é pouco absorvido pelo trato digestivo e a retenção da substância é responsável por efeitos tóxicos. Em outras palavras, ele não é bem tolerado e produz muitos efeitos colaterais" , observa.

A leishmaniose tegumentar tem duas formas de apresentação clínica: cutânea e mucosa. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é uma das seis mais importantes patologias infecciosas, pelo seu alto coeficiente de detecção e capacidade de produzir deformidades. Constitui um problema de saúde pública em 88 países, distribuído em quatro continentes (América, Europa, África e Ásia), com registro anual de 1 milhão a 1,5 milhão de casos.

No Brasil, a leishmaniose cutânea é uma das afecções dermatológicas que merece mais atenção, com ampla distribuição em todas as regiões. Uma das preocupações é com o risco de surgimento posterior da forma mucosa, que pode desfigurar o paciente. Além disso, existe o impacto psicológico, que produz reflexos no campo social e econômico.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Leishmaniose    Leishmaniose cutânea    Sulfato de Paromomicina    Fiocruz    Farmanguinhos    Maristela Rezende   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia: Gel produzido pela Fiocruz pode revolucionar tratamento da leishmaniose
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria: Gel produzido pela Fiocruz pode revolucionar tratamento da leishmaniose


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
leishmaniose    leishmaniose cutânea    Sulfato de Paromomicina    Fiocruz    Farmanguinhos    Maristela Rezende   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.