Ciência e Tecnologia
publicado em 15/02/2013 às 10h51:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Second Sight
Par de óculos, com câmera acoplada, que funciona junto ao implante de retina Argus II.
  « Anterior
Próxima »  
Par de óculos, com câmera acoplada, que funciona junto ao implante de retina Argus II.

A Food and Drug Administration dos EUA (FDA) aprovou o primeiro implante de retina artificial capaz de ajudar a restaurar a visão de pessoas com uma desordem genética rara conhecida como retinite pigmentosa avançada.

O sistema, que recebeu o nome de Argus II, já havia recebido aprovação de autoridades europeias e foi transplantado em cerca de 60 deficientes visuais em todo o mundo.

O dispositivo, que inclui uma câmara de vídeo pequena, um transmissor montado sobre um par de óculos, uma unidade de processamento de vídeo (VPU) e uma prótese de retina (retina artificial), substitui a função das células degeneradas na retina (a membrana no interior do olho) e pode melhorar a capacidade de um paciente para perceber imagens e movimento. O VPU transforma imagens da câmera de vídeo em dados eletrônicos que são transmitidos sem fio à prótese de retina.

"Este dispositivo implantado cirurgicamente fornece uma opção para pacientes que perderam a visão devido à retinite, para a qual não há tratamentos aprovados pela FDA. O sistema pode ajudar os adultos com a doença que perderam a capacidade de perceber formas e movimento a serem mais móveis e realizarem tarefas do dia-a-dia", afirma Jeffrey Shuren, da FDA.

O sistema Argus II foi projetado para uso em adultos com 25 anos ou mais com retinite pigmentosa avançada que têm percepção de luz nua (pode perceber a luz, mas não a direção de onde ela está vindo) ou ausência de percepção luminosa em ambos os olhos.

Enquanto o dispositivo não vai restaurar a visão de pacientes, pode permitir-lhes detectar a luz e a escuridão no meio ambiente, auxiliando-os na identificação do local ou do movimento de objetos ou pessoas.

A FDA aprovou o olho biônico com base em um teste clínico efetuado com 30 pessoas de 28 a 77 anos, com uma acuidade visual abaixo de 1/10.

Os investigadores monitoraram regularmente a visão dos participantes por pelo menos dois anos após o implante.

Os pacientes demonstraram uma acuidade que lhes permitiu distinguir formas em preto em branco como, por exemplo, de uma pessoa em uma porta ou um indivíduo sentado ao lado deles, mesmo sem poder reconhecer os rostos.

Os resultados do estudo clínico mostra que a maioria dos participantes foi capaz de realizar atividades básicas melhor com o Argus II do que sem o implante.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Olho biônico    Implante de retina    Retinite pigmentosa avançada    Argus II    FDA    Jeffrey Shuren   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Olho biônico    implante de retina    retinite pigmentosa avançada    Argus II    FDA    Jeffrey Shuren   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.