Geral
publicado em 14/02/2013 às 12h39:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: University of Granada
Foto: University of Granada
Rato submetido a irradiação (radioterapia) Germaine Escames Rosa, pesquisadora da University of Granada
  « Anterior
Próxima »  
Rato submetido a irradiação (radioterapia)
Germaine Escames Rosa, pesquisadora da University of Granada

Cientistas da Universidade de Granada, na Espanha, desenvolveram um composto feito à base do hormônio melatonina que é eficaz no tratamento e na prevenção de mucosite, um dos efeitos colaterais mais desagradáveis da quimioterapia e da radioterapia.

O produto é um gel aplicado facilmente que se acredita ser o primeiro desenvolvido para combater a mucosite, de acordo com os investigadores. Atualmente não há tratamento para esse problema, pois sua fisiopatologia ainda não é compreendida.

A mucosite é uma reação inflamatória que afeta a mucosa do trato digestivo desde a boca até ao ânus, e é um dos principais efeitos adversos resultantes do transplante de medula óssea, radioterapia e quimioterapia. Este problema grave complica o tratamento de câncer, já que os pacientes frequentemente têm de ser internados no hospital e, muitas vezes, a radioterapia e a quimioterapia têm que ser interrompidas. Em algumas situações, os resultados podem ser fatais.

Estima-se que 40% dos pacientes que receberam radioterapia e até 70% dos doentes submetidos a transplante de medula óssea irão desenvolver mucosite. Em pacientes com câncer de cabeça e pescoço, 97% desenvolvem esta condição, em certa medida, enquanto 100% dos que receberam radioterapia durante um período prolongado, também sofrem de mucosite.

Segundo os pesquisadores, no momento não há tratamento eficaz para a mucosite, e é por isso que o novo produto é de enorme interesse, uma vez que ele pode aumentar consideravelmente a qualidade de vida dos pacientes com câncer.

Pesquisas anteriores mostraram que o dano mitocondrial está presente em casos de mucosite. "A melatonina presente no novo produto alivia a reação inflamatória e protege a mitocôndria, e por isso pensamos que poderia ser útil para o tratamento da condição", afirma a líder da pesquisa Germaine Escames Rosa.

O sucesso do tratamento deve-se ao tipo de gel utilizado para a formulação farmacêutica e à quantidade de melatonina utilizada. A aplicação oral do gel de melatonina a uma concentração específica, impregna as membranas mucosas e inverte o dano mitocondrial, impedindo o aparecimento de mucosite em 100% dos casos. Qualquer outro tipo de melatonina de aplicação, tais como concentrações diferentes, não teria o mesmo efeito.

De acordo com os investigadores, o produto já foi patenteado a nível nacional, e uma patente internacional também foi solicitada.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Mucosite    quimioterapia    radioterapia    efeito colateral    melatonina    Universidade de Granada    Germaine Escames Rosa   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.