Geral
publicado em 14/02/2013 às 09h57:00
   Dê o seu voto:

Biossensor adaptado acelera detecção de cocaína na corrente sanguínea

Trabalho pode levar a triagens capazes de acusar presença de drogas, doenças infecciosas e cânceres em menos de cinco minutos

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Lisa Quarfoth/Foto Stock
Cientistas do Canadá adaptaram mecanismos naturais usados por organismos vivos para detectar moléculas específicas, tais como a cocaína, com mais precisão e rapidez.
  « Anterior
Próxima »  
Cientistas do Canadá adaptaram mecanismos naturais usados por organismos vivos para detectar moléculas específicas, tais como a cocaína, com mais precisão e rapidez.

Pesquisadores da Universidade de Montreal, no Canadá, adaptaram mecanismos naturais usados por organismos vivos no monitoramento do ambiente para detectar moléculas específicas, tais como a cocaína, com mais precisão e rapidez.

O trabalho pode permitir triagens capazes de detectar a presença de drogas, doenças infecciosas e cânceres em menos de cinco minutos.

Muitos cientistas estão trabalhando para desenvolver tecnologia de biossensor para detectar diretamente na corrente sanguínea e, em segundos, drogas, doenças e moléculas de câncer.

"Os biossensores mais recentes determinam os níveis de várias moléculas, tais como fármacos e marcadores de doença no sangue apenas quando a molécula está presente em uma determinada concentração, chamada janela de concentração. Abaixo ou acima dessa janela, os biossensores atuais perdem muito de sua precisão", observa o líder da pesquisa Alexis Vallée-Bélisle.

Para superar essa limitação, Vallée-Bélisle e seus colegas analisaram a natureza: "Nas células, os organismos vivos usam frequentemente moléculas inibidoras ou ativadoras para programar automaticamente a sensibilidade dos seus receptores (sensores), que são capazes de identificar a quantidade precisa de milhares de moléculas em segundos. Por isso, decidimos adaptar estes mecanismos de inibição, ativação e sequestro para melhorar a eficiência de biossensores artificiais", explica o pesquisador.

A equipe testou sua ideia usando um biossensor da cocaína existente e revisou seu projeto para que ele respondesse a uma série de moléculas inibidoras. Eles foram capazes de adaptar o biossensor para responder otimamente mesmo com uma janela grande concentração. "O que é fascinante é que fomos bem sucedidos em controlar as interações deste sistema imitando mecanismos que ocorrem naturalmente", destaca o pesquisador Alessandro Porchetta.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Cocaína    Drogas    Biossensor    Universidade de Montreal    Alexis Vallée-Bélisle   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia: Biossensor adaptado acelera detecção de cocaína na corrente sanguínea
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria: Biossensor adaptado acelera detecção de cocaína na corrente sanguínea


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Cocaína    drogas    biossensor    Universidade de Montreal    Alexis Vallée-Bélisle   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.