Ciência e Tecnologia
publicado em 05/02/2013 às 12h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Imagem: MU News Bureau
Equipe desenvolveu nanopartícula banhada de ouro que serve como uma cela para os elementos
  « Anterior
Próxima »  
Equipe desenvolveu nanopartícula banhada de ouro que serve como uma cela para os elementos

Pesquisadores dos EUA criaram uma nanopartícula de ouro capaz de transportar poderosas partículas radioativas diretamente a tumores para o tratamento.

Normalmente, quando o tratamento com radiação é recomendado para pacientes com câncer, os médicos são capazes de escolher entre vários radiofármacos que utilizam partículas de radiação de baixa energia, conhecidas como partículas beta.

Durante anos, os cientistas vêm estudando como usar "partículas alfa", que são partículas radioativas que contêm uma grande quantidade de energia, em tratamentos de câncer. Os desafios para a utilização de partículas alfa, que são mais de 7 mil vezes mais pesadas do que as partículas beta, incluem confinar as partículas alfa em um local designado no interior do corpo, evitando que a radiação vague para os órgãos e tecidos saudáveis.

"Se você pensar em partículas beta como estilingues, as partículas alfa seriam semelhantes a balas de canhão. Os cientistas têm tido alguns sucessos com partículas alfa, recentemente, mas nada que possa combater diferentes tipos de câncer. Por exemplo, um estudo utilizando o cloreto de rádio-223, que emite partículas alfa, tem sido acelerado pela Food and Drug Administration EUA (FDA) porque foi demonstrado ser eficaz no tratamento do câncer de osso. No entanto, ele só funciona para câncer de osso porque o elemento, o rádio, é atraído para o osso e permanece lá. Acreditamos ter encontrado uma solução que vai nos permitir direcionar partículas alfa para locais de câncer em outras partes do corpo de uma forma eficaz", explica J. David Robertson, da University of Missouri.

Robertson e seus colegas usaram o elemento "actínio", conhecido como "emissor alfa" porque produz partículas alfa. Conforme ele enfraquece, o actínio cria três elementos adicionais que produzem partículas alfa. Devido à força dessas partículas, porém, manter os elementos no lugar em locais de câncer não era possível, até a equipe desenvolver uma nanopartícula banhada de ouro, que serve como uma cela para os elementos, mantendo-os no lugar do câncer.

O ouro tornou a nanopartícula forte o suficiente para segurar o actínio, e outros emissores alfa que eventualmente forem criados, por tempo suficiente para que as partículas alfa destruíssem as células cancerosas próximas.

"A realização desses emissores alfa é um desafio técnico que pesquisadores vêm tentando superar a 15 anos. Com o nosso projeto de nanopartículas, nós somos capazes de manter mais de 80% do elemento dentro da nanopartícula 24 horas após a sua criação", afirma Robertson.

Enquanto as partículas alfa são extremamente poderosas, elas não viajam muito longe, por isso, quando as nanopartículas chegam perto de células cancerosas, as partículas alfa saem e destroem a célula de forma muito mais eficaz do que as opções atuais de terapia de radiação.

Os resultados em estágio inicial desta pesquisa são promissores. Se estudos adicionais forem bem-sucedidos nos próximos anos, a equipe irá solicitar ao governo federal o início do desenvolvimento de drogas para humanos. Após a concessão desse status, os pesquisadores podem realizar testes clínicos em humanos com a esperança de desenvolver novos tratamentos anticâncer.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Nanopartícula de ouro    partículas alfa    radioterapia    University of Missouri    J. David Robertson   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.