Geral
publicado em 05/02/2013 às 13h05:00
   Dê o seu voto:

Dança pode diagnosticar problemas afetivos entre casais, diz pesquisa

Pesquisadora utilizou o contato-improvisação que expressa dinâmica conjugal e avalia problemas de relacionamentos

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Photography33/Foto Stock
Dança pode revelar o modo de funcionamento da relação conjugal
  « Anterior
Próxima »  
Dança pode revelar o modo de funcionamento da relação conjugal

Pesquisa do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília trouxe uma ideia inovadora para os e s tudos do relacionamento: que a dança pode ser um instrumento valioso para diagnosticar eventuais disfunções afetivas na vida de um casal. No estudo foi utilizado o contato-improvisação, um gênero de dança contemporânea essencialmente livre, nascido da contracultura.

Com a dissertação de mestrado Dança de Casais: a Relação Conjugal à Luz da Socionomia e do Contato-improvisação, a psicóloga Renata Ito propôs um exercício diagnóstico capaz de revelar mais do que as palavras: convidou dois casais a participarem de sessões de contato-improvisação, gravou as sessões e submeteu cada gravação à interpretação de três observadores - a da pesquisadora, a de uma contatista (especialista em contato-improvisação) e a do próprio casal. De entrevistas semi-dirigidas, colheu diagnósticos confirmados pelos casais que aceitaram servir de estudo de caso para a pesquisa.

O contato-improvisação sugere uma conversa espontânea entre corpos: ocorre de forma improvisada, mas consciente, trabalhando a queda e a sustentação física e a relação com o outro, como um jogo físico e silencioso de pergunta e resposta. Dessa liberdade, "a dança revela o modo de funcionamento da relação conjugal", segundo a autora. Para ela, ainda que com certas reservas, "ficou evidente" que o contato-improvisação "expressa a dinâmica conjugal".

A tese de Renata é uma investigação qualitativa a partir do estudo de caso de dois casais específicos. Segundo o texto, após as sessões gravadas de contato-improvisação, cada casal assistiu ao seu próprio vídeo e "reagiu com comentários durante uma entrevista semi-dirigida reflexiva acerca do tema" . Segundo a autora, a abordagem teórica usada para compreender o estudo foi a socionomia proposta por Jacob Levy Moreno, criador do psicodrama e pioneiro no estudo da terapia em grupo. A socionomia é a ciência das leis sociais que regem os pequenos grupos - desde um casal a grupos de 5 mil indivíduos, por exemplo. Inclui métodos de ação terapêutica, entre eles o psicodrama - tipo de psicoterapia em que a representação dramática é usada como abordagem e exploração da psiquê humana.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia: Dança pode diagnosticar problemas afetivos entre casais, diz pesquisa
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria: Dança pode diagnosticar problemas afetivos entre casais, diz pesquisa


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
psicologia    universidade de brasília    problemas de realcionamento entre casais    disfunções afetivas    contato-improvisação    dança contemporânea   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.