Saúde Pública
publicado em 22/01/2013 às 13h04:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: SESA
Objetivo da proibição é diminuir o número de casos de queimaduras e ingestão acidental, principalmente em crianças
  « Anterior
Próxima »  
Objetivo da proibição é diminuir o número de casos de queimaduras e ingestão acidental, principalmente em crianças

A partir de 1º de fevereiro volta a valer a medida que proíbe a fabricação e comercialização do álcool em estado líquido em todo o país. O objetivo é diminuir o número de casos de queimaduras e ingestão acidental, principalmente em crianças. A proibição começou em 2002, após resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas foi suspensa por conta de decisão judicial a favor do setor industrial.

Em agosto de 2012, a Justiça Federal derrubou a decisão e agora não há mais possibilidade de recurso. Foi definido que as indústrias teriam até 31 de janeiro de 2013 para se adequar às novas exigências. A partir de fevereiro, todo estoque irregular existente no mercado deve ser recolhido.

" Caso o consumidor encontre álcool líquido disponível à venda, a vigilância sanitária municipal deve ser comunicada e o produto será apreendido" , explicou o coordenador da Vigilância Sanitária Estadual, Paulo Costa Santana.

O álcool líquido é menos seguro do que a forma em gel e aumenta os riscos de acidentes graves com queimaduras. " A apresentação em gel evita que, em caso de derramamento, o álcool tenha contato com grandes áreas do corpo, como ocorre na forma líquida. Além disso, ele rende três vezes mais que o líquido" , disse Santana.

Segundo dados do Ministério da Saúde, de janeiro a novembro de 2012, 2.113 crianças foram internadas no Sistema Único de Saúde vítimas de queimaduras por fogo, fumaça ou chamas. Do total, 662 casos estavam relacionados a substâncias inflamáveis, como o álcool líquido. No Paraná, o número de internações foi de 448 crianças, sendo que 33 tiveram contato com substâncias inflamáveis.

Entre os adultos, o risco de acidentes com álcool líquido também é grande. Em 2011, o Hospital Evangélico de Curitiba atendeu 329 adultos vítimas de queimaduras - 25% deles teve contato com álcool.

Com informações da Secretaria de Saúde do Paraná

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Álcool líquido    álcool em gel    fevereiro    Agência Nacional de Vigilância Sanitária    Anvisa    decisão judicial   
Comentários:
Comentar
João Carlos
postado em:
01/03/2013 11:43:21
Sou a favor da medida desde que o preço do alcool gel não seja abusivo, o que ocorreu quando da primeira proibição.
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.