Geral
publicado em 22/01/2013 às 09h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: GRA
Roberto Docampo, pesquisador envolvido no estudo
  « Anterior
Próxima »  
Roberto Docampo, pesquisador envolvido no estudo

Cientistas da Universidade da Geórgia, nos EUA, fizeram uma descoberta que pode levar a novos tratamentos contra a doença do sono que não causam nem a dor, nem os riscos associados às terapias atuais.

A equipe, liderada por Roberto Docampo, identificou um receptor específico situado em uma organela dentro do parasita causador da doença que regula a liberação de cálcio, responsável por inúmeras funções celulares críticas necessárias para o crescimento e replicação do parasita.

"Este receptor é um alvo atraente de drogas. Os mecanismos que identificamos são fundamentais para a sobrevivência do parasita, assim se pudermos manipulá-los, podemos parar a infecção", explica Docampo.

O receptor de cálcio identificado pelos investigadores serve como uma espécie de mensageiro no interior do parasita, dizendo a ele quando secretar produtos químicos específicos, quando se dividir e, quando se espalhar.

Os pesquisadores suspeitaram que perturbando este sistema, eles tornariam os parasitas incapazes de crescer e se replicar dentro dos seus hospedeiros humanos e animais.

Docampo e seus colegas testaram sua hipótese assistindo versões geneticamente modificadas de célula parasitária tanto em culturas de laboratório quanto em ratos. Em ambos os casos, os parasitas geneticamente modificados com receptores de cálcio disfuncionais foram incapazes de se replicar, e os ratos do grupo experimental permaneceram livres de doença.

"Nós sabíamos que essas organelas eram ricas em ácido de cálcio, mas somente agora entendemos como eles liberam o cálcio para controlar as funções celulares. Agora que compreendemos melhor esse caminho crítico, podemos começar a pensar em novas terapias para a doença do sono", afirma Docampo.

O parasita é transmitido através da picada da mosca tsé-tsé, inseto voador encontrado em todo o continente da África que sobrevive bebendo sangue de hospedeiros humanos e animais. Muitos esforços globais para prevenir a transmissão da doença do sono se concentram no controle ou erradicação da mosca tsé-tsé, o que tem sido difícil.

Mesmo quando os seres humanos são bem sucedidos em evitar a picada da mosca tsé-tsé, animais domésticos como bovinos e suínos podem ser vítima de nagana, a versão animal da doença do sono. Os animais infectados perdem a força, não produzem leite e acabam por morrer.

Docampo e seus colegas estão confiantes de que sua descoberta terá aplicações além do tratamento da doença do sono. Embora as células dentro de seres humanos e animais sejam mais complexas que os tripanossomas, elas carregam organelas que funcionam de maneira semelhante à que eles esperam bloquear no parasita.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Doença do sono    tripanossoma    modificação genética    parasita    Universidade da Geórgia    Roberto Docampo   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.