Geral
publicado em 21/01/2013 às 19h28:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: UN Photo/Rick Bajornas
Margaret Chan, diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS)
  « Anterior
Próxima »  
Margaret Chan, diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS)

A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, afirmou que o desejo para aliviar a miséria humana é grande, mas é neutralizado pelos poucos recursos, pouca capacidade e muita ajuda desordenada.

A declaração de Chan foi feita, nesta segunda-feira (21), aos membros da diretoria executiva da OMS, em Genebra.

Ela disse que entre os desafios da organização estão, o envelhecimento e o aumento de peso da população, a alta dos casos de doenças crônicas não transmissíveis e a mudança climática.

Chan declarou que a expectativa pública em relação ao sistema de saúde está aumentando e o orçamento diminuindo. Segundo a diretora-geral, os custos dispararam no momento de uma austeridade global.

A chefe da OMS disse que as desigualdades sociais estão quase no pior nível já visto nos últimos 50 anos.

Apesar disso, Chan diz que a cooperação internacional, no setor de saúde, está avançando. Ela cita o progresso, por exemplo, na pesquisa e no desenvolvimento de novos medicamentos levados mais pela necessidade do que pelo lucro.

A diretora da OMS lembrou que em dezembro, a campanha de vacinação contra a meningite na África atingiu a marca de 100 milhões de pessoas inoculadas num prazo de dois anos.

Os casos da doença nos 10 países em que a campanha foi feita caíram de forma significativa. Os últimos dados da OMS mostram que a epidemia de meningite na África pode chegar ao fim.

Chan falou também sobre avanços no combate a outras doenças, como a tuberculose, a poliomielite, a Aids e as doenças tropicais negligenciadas.

Relatório da ONU sobre medidas para salvar vidas de mulheres e crianças identificou 13 prioridades que se forem utilizadas, podem salvar mais de 6 milhões de vidas até 2015.

Falando sobre a reforma da OMS, Chan disse que algumas medidas já foram implementadas.

A diretora afirmou que a organização reduziu em quase mil o número de funcionários e realizou cortes em despesas de viagens e controles financeiros que geraram uma economia de mais de US$ 28 milhões, o equivalente a R$ 56 milhões.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Envelhecimento    Peso    Obesidade    OMS    Organização Mundial de Saúde    Margaret Chan   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
envelhecimento    peso    obesidade    OMS    Organização Mundial de Saúde    Margaret Chan   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.