Saúde Pública
publicado em 17/01/2013 às 15h11:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Ministério da Saúde
Farmanguinhos produz antirretrovirais, antiasmáticos, antiparkisoniano, tuberculostático e antineoplásicos
  « Anterior
Próxima »  
Farmanguinhos produz antirretrovirais, antiasmáticos, antiparkisoniano, tuberculostático e antineoplásicos

Cerca de 47 medicamentos importados para tratar várias doenças e que dependiam exclusivamente de indústria farmacêutica internacional, tem produção garantida no Brasil. Para obter mais autonomia da produção de medicamentos e a competitividade do país, o governo tem ampliado convênios entre os laboratórios públicos e privados, através das PDPs, (Parcerias de Desenvolvimento Produtivo ). Por meio do Programa de Investimento no Complexo Industrial da Saúde (Procis), o MS investe em infraestrutura e qualificação de mão de obra em 18 dos 20 laboratórios públicos oficiais.

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) é um dos laboratórios que trabalha nesse programa e produz pelas PDPs antirretrovirais, antiasmáticos,imunossupressores, antiparkisoniano, tuberculostático e antineoplásicos. Baseado no quantitativo geral de pessoas portadoras dessas enfermidades, estima-se que cerca de 13 milhões poderão ser beneficiadas com a produção dos medicamentos por meio das parcerias.

A maioria desses produtos é importada e a produção em território nacional desses medicamentos irá gerar economia aos cofres públicos. Com o acerto dos acordos firmados na reunião do Gecis, (Conselho de Competitividade do Complexo Industrial da Saúde), 20 novas parcerias já são contabilizadas, 55 PDPs para a produção nacional de 47 medicamentos, o que vai significar uma economia de R$ 2,5 bilhões por ano ao Ministério da Saúde.

Além de gerar uma significativa economia e diminuir a dependência na importação desses produtos, as parcerias também trazem benefícios à população, pois garantem o abastecimento de medicamentos essenciais ao Sistema Único de Saúde (SUS).

O diretor de Farmanguinhos, Hayne Felipe, acredita que as parcerias trouxeram grandes mudanças e que o instituto estará preparado para as demandas que surgirem. " Nestes novos rumos da unidade, as parcerias cumprem papel fundamental, já que, além garantir receitas indispensáveis, nos capacitarão tecnologicamente para novos desenvolvimentos e, consequentemente, novos produtos para o SUS" .

Com informações da Agência Fiocruz

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
medicamentos    importação    indústria nacional de farmoquímicos    PDPs    fiocruz    farmanguinhos    ministério da saúde   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.