Saúde Pública
publicado em 15/01/2013 às 20h07:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Pesquisadores da Fiocruz identificaram no Brasil o vírus HTLV-1, linhagem restrita aos países da África Central. Ainda não há tratamento específico para as doenças associadas ao vírus linfotrópico da célula humana tipo 1,virose que pode ser transmitida sexualmente, de mãe para filho ou pelo sangue.

Estima-se que, no mundo, entre 15 e 20 milhões de pessoas sejam portadoras - calcula-se que até 3 milhões delas estejam no Brasil. O alerta foi feito através de estudo inédito publicado no Journal of Virology. O vírus foi encontrado no Rio de Janeiro pela equipe do Laboratório de Genética Molecular de Microorganismos do IOC, liderada pela pesquisadora Ana Carolina Paulo Vicente, em parceria com o laboratório Sérgio Franco Medicina Diagnóstica.

O estudo também revelou, pela primeira vez, o genoma completo desta linhagem. " O fato de termos identificado uma linhagem da África Central mostra que a disseminação do vírus está em progresso e a nível global" , explica Ana Carolina. O Brasil tem motivos para se preocupar. Ainda de acordo com a especialista, desde 1992 estima-se que o país tenha o maior número absoluto de infectados do mundo.

Apesar de apenas 5% dos pacientes desenvolverem doenças, ainda não há tratamento específico para estes agravos - ao contrário do que ocorre com o HIV-1, que também é um retrovírus. Dentre os quadros clínicos mais graves, estão a leucemia de células T e a mielopatia associada ao HTLV-1, também conhecida como paraparesia espástica tropical.

Segundo Ana Carolina, a maioria dos portadores costuma descobrir a infecção quando doa sangue, pois desde 1990 é obrigatória a realização de triagem sorológica para HTLV nos voluntários. No entanto, a especialista defende que a vigilância epidemiológica do vírus ainda precisa ser aperfeiçoada. " A comunidade científica vem lutando para que o teste seja incorporado no protocolo de atendimento a gestantes, pois uma das principais formas de transmissão do vírus é de mãe para filho e, principalmente, pela amamentação, o que poderia ser facilmente controlado" , adverte a pesquisadora.

Com informações da Agência Fiocruz

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Fiocruz    Virose    HTLV-1    áfrica central    Brasil    Genética molecular    Leucemia de células T    Vigilância epidemiológica   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
fiocruz    virose    HTLV-1    áfrica central    brasil    genética molecular    leucemia de células T    vigilância epidemiológica   
Comentários:
Comentar
magdalena lopez
postado em:
14/02/2013 20:00:09
please find treatment or antyviral terapy for infection people 20-25 milion carriers infection on the word no efective for this virus
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.