Ciência e Tecnologia
publicado em 19/12/2012 às 17h30:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Jacobs School of Engineering
Sensores transmitem suas leituras de qualidade do ar para os telefones
  « Anterior
Próxima »  
Sensores transmitem suas leituras de qualidade do ar para os telefones

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, em San Diego, desenvolveram sensores portáteis que permitem monitorar a qualidade do ar em tempo real por meio do telefone celular.

Os sensores poderiam ser particularmente úteis para pessoas que sofrem de doenças crónicas, como asma, que precisam evitar a exposição aos poluentes.

CitiSense é o único sistema de monitoramento da qualidade do ar capaz de fornecer dados em tempo real para telefones celulares e usuários domésticos de computadores a qualquer momento.

"Queremos obter mais dados e dados melhores que podemos fornecer para o público. Estamos tornando visível o invisível", afirma o líder da pesquisa William Griswold.

Os sensor CitiSense detecta ozônio, dióxido de nitrogênio e monóxido de carbono, poluentes mais comuns emitidos por carros e caminhões. A interface do usuário exibe leituras do sensor em um telefone celular usando uma escala de um código de cores para a qualidade do ar com base nas classificações da US Environmental Protection Agency de qualidade do ar, de verde (bom) até roxo (perigoso).

Os pesquisadores forneceram sensores durante quatro semanas para um total de 30 usuários, incluindo alunos e funcionários da universidade.

Segundo os pesquisadores, os sensores se tornaram ferramentas educacionais para os utilizadores. "Muitas pessoas acham que a poluição difunde igualmente no ar. Mas ela permanece concentrada em pontos quentes, ao longo de estradas principais, nos cruzamentos e assim por diante. Os sensores mostraram isso para os usuários."

"As pessoas que estão fazendo o máximo para reduzir as emissões de poluentes, andando de bicicleta ou usando o ônibus, são as que experimentaram os níveis mais altos de exposição à poluição do ar", afirma Griswold.

Os usuários descobriram que a poluição variava não só com base na localização, mas também na hora do dia, com leituras baixas no meio da manhã e valores muito altos no final da tarde.

A equipe afirma que muitos usuários do estudo tomaram medidas para limitar a exposição em excesso aos poluentes. Por exemplo, ciclistas descobriram que eles poderiam evitar uma grande exposição simplesmente andando de bicicleta longe de ruas movimentadas. Os passageiros que pegavam o ônibus evitaram esperando perto do escapamento do veículo, onde a qualidade do ar era pior.

Os pesquisadores esperam conseguir incentivos para monitorar a qualidade do ar para as crianças asmáticas em idade escolar e determinar o que pode ser feito para limitar sua exposição aos poluentes.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Qualidade do ar    poluição atmosférica    sensor portátil    Universidade da Califórnia    William Griswold   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.