Geral
publicado em 19/12/2012 às 06h00:00
   Dê o seu voto:

Técnica promove regeneração de nervos em pacientes com lesão na medula

Abordagem pode ajudar pacientes que sofreram trauma extenso do nervo a recuperar as sensações e o movimento

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Mohammad Reza Abidian
Desenho mostra 'túnel' composto por uma parede externa de hidrogel flexível e um polímero condutor no interior
  « Anterior
Próxima »  
Desenho mostra 'túnel' composto por uma parede externa de hidrogel flexível e um polímero condutor no interior

A construção de um ' túnel' feito de materiais duros e flexíveis pode orientar a reconexão de terminações nervosas danificadas por lesões ou traumas, de acordo com pesquisadores da Penn State, nos EUA.

A abordagem pode ser o primeiro passo para ajudar pacientes que sofreram trauma extenso do nervo a recuperar as sensações e o movimento.

Os resultados foram publicados na revista Advanced Healthcare Materials.

"A lesão nervosa, tanto no sistema nervoso central quanto no sistema nervoso periférico, é um grande problema de saúde. De acordo com o National Spinal Cord Injury Statistical Center, existem cerca de 290 mil pessoas nos EUA que sofrem de lesões na medula espinhal, com cerca de 12 mil novas lesões ocorrendo a cada ano", afirma o pesquisador Mohammad Reza Abidian.

A regeneração nervosa espontânea é limitada a pequenas lesões no sistema nervoso periférico e é suprimida pelo sistema nervoso central. Quando um nervo no sistema nervoso periférico é um pouco danificado, terminações nervosas podem se regenerar e se reconectarem. No entanto, se a distância entre as duas terminações é muito grande, os nervos não conseguem se reconectarem.

Agora, os pesquisadores desenvolveram um novo túnel híbrido, composto por um hidrogel flexível como parede externa, juntamente com uma parede interna feita de polímeros eletricamente ativos que funciona como um canal que orienta a reconexão das terminações nervosas danificadas.

Segundo Abidian, o método pode oferecer vantagens sobre os procedimentos cirúrgicos atuais que são usados para religar nervos cortados. "Auto enxertos são atualmente o padrão para corrigir lacunas nos nervos. Esta é uma operação que retira o nervo de outra parte do corpo, por exemplo, de um tendão, e, em seguida, o enxerta no nervo lesionado", explica o pesquisador.

No entanto, a operação pode ser dolorosa e muitas vezes há diferenças no tamanho entre as terminações nervosas cortadas e a porção do nervo enxertado.

Os investigadores utilizaram agarose, um hidrogel que é permeável e mais susceptível de ser aceito pelo organismo. No entanto, como o hidrogel expande-se em água e fluidos, a expansão destruiria o túnel e reduziria a capacidade de as terminações nervosas se regenerarem e reconectarem. Eles,então, criaram um segundo desenho, adicionando um polímero condutor, poli (3,4-etilenodioxitiofeno), PEDOT, a fim de formar uma parede que pode suportar mecanicamente e reforçar o hidrogel. PEDOT é um material estável que pode conduzir eletricidade para ajudar os sinais elétricos a passar pelo nervo.

Para garantir que os nutrientes e oxigênio atingissem as terminações nervosas em regeneração, a equipe criou um projeto de PEDOT em espiral que manteve a integridade estrutural da parede, mas permitiu que alguns nutrientes e ar chegassem até o nervo.

Os pesquisadores testaram os três projetos, hidrogel puro, hidrogel com parede totalmente revestida com PEDOT, e hidrogel com parede parcialmente revestida com PEDOT, por meio da implantação do dispositivo em lacunas nervosas de 10 milímetros em ratos. Eles então, mediram a massa muscular e a força das contrações musculares na extremidade dos nervos. Estas medidas podem indicar se o nervo foi reconectado.

Eles também analisaram imagens ópticas de seções transversais do nervo para avaliar sua saúde relativa.

De acordo com Abidian, o desenho PEDOT espiral gerou significativamente mais massa muscular do que os outros projetos. As figuras do projeto PEDOT espiral mostrou que a saúde do próprio nervo era quase indistinguível de um nervo visualizado após uma operação de auto enxerto.

O próximo passo da equipe será testar o projeto em casos em que as diferenças entre nervos cortados são tão grandes que até mesmo operações de auto enxerto são ineficazes. Eles também esperam que o projeto possa ser usado para criar outros tipos de implantes médicos, como interfaces neurais.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Lesão na medula    Regeneração nervosa    Penn State    Mohammad Reza Abidian   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia: Técnica promove regeneração de nervos em pacientes com lesão na medula
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria: Técnica promove regeneração de nervos em pacientes com lesão na medula


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Lesão na medula    regeneração nervosa    Penn State    Mohammad Reza Abidian   
Comentários:
Comentar
francisco rangel
postado em:
22/12/2012 20:37:45
tengo lesion c4 de 3mm. hay probabilidad de que haya reconeccion de mis terminaciones nerviosas con este tratamiento?
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.