Artigo
publicado em 18/11/2012 às 14h52:00
   Dê o seu voto:

O SUS municipal

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Arquivo Pessoal
João Ladislau, diretor coordenador do Departamento de Comunicação do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp).
  « Anterior
Próxima »  
João Ladislau, diretor coordenador do Departamento de Comunicação do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp).

Nas eleições deste ano, mais de 138 milhões de brasileiros foram às urnas e escolheram 5.568 prefeitos e 57.434 vereadores. Passada a festa da democracia, os médicos e toda a sociedade devem insistir com algumas questões: o que os eleitos farão para melhorar o sistema de saúde?

Infelizmente, nas campanhas exibidas no horário eleitoral, a maioria dos candidatos perdeu a oportunidade de aprofundar o debate sobre a situação da saúde e os rumos do Sistema Único de Saúde (SUS) municipal.

Muitos dos programas de governo apresentados, inclusive de candidatos eleitos, reduziram a saúde a propostas mirabolantes ou superficiais. O discurso político foi substituído por jogadas de marketing e pouco esclareceu sobre a solução dos problemas. Muitos candidatos quiseram deixar sua " marca" , deram nomes fantasia para programas pontuais e focaram na promessa de inauguração de unidades, quando o mais difícil é a manutenção dos serviços, a implantação de um plano de carreira decente para os médicos e demais profissionais e a integração dos vários níveis de atenção, hoje desarticulados e fragmentados na maioria dos municípios.

A população tem dado sinais claros do seu descontentamento. Todas as pesquisas nos municípios apontam a saúde como o maior problema, superando a bronca com o transporte coletivo, a segurança e a educação.

Os municípios estão no limite da destinação da receita própria para a saúde e boa parte já aplica mais que os 15% preconizados. Enquanto o governo federal insistir no subfinanciamento do SUS, muitos dos problemas locais não terão solução. Como grande empregador de médicos, deve assegurar plano de carreira e condições adequadas de trabalho e remuneração.

Os prefeitos eleitos e seus secretários de saúde enfrentarão um grande desafio pela frente. Eles devem ter em mente que não precisam reinventar o SUS, mas combinar adequadamente o escasso recurso disponível com um gerenciamento competente, que culmine na promoção da saúde, na ampliação do acesso e na prestação de serviços de qualidade para a população.

Fonte: CREMESP
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia: O SUS municipal
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria: O SUS municipal


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
SUS    Sistema Único de Saúde    eleições    SUS municipal    João Ladislau    Conselho Regional de Medicina de São Paulo    Cremesp   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.