Geral
publicado em 16/11/2012 às 10h34:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Georgia Health Sciences University
Dr. John R. Lue, envolvido na pesquisa
  « Anterior
Próxima »  
Dr. John R. Lue, envolvido na pesquisa

A visão precisa e tridimensional fornecida por sistemas robóticos podem tornar possível a realização de histerectomias, ou cirurgia de retirada do útero, sem cicatriz para algumas mulheres, de acordo com pesquisadores da Georgia Health Science University, nos EUA.

Dados de uma cirurgia realizada nos EUA utilizando robôs revela que é possível reforçam evidências de que é possível a retirada do útero sem causar traumas às mulheres.

"Este estudo ajuda a mostrar que isso pode ser feito. Agora precisamos realizar estudos maiores para encontrar mulheres que mais se beneficiariam e verificarmos se os robôs podem ser usados para patologias mais graves, como miomas grandes e câncer", afirma o pesquisador John R. Lue.

O relato, apresentado na revista Journal of Minimal Access Surgery, mostra o caso de uma mulher de 46 anos, em boa forma física, com histórico de hemorragia excessiva e tumores benignos no útero.

A cirurgia foi realizada através de uma incisão de dois centímetros de comprimento no umbigo, a parte mais fina do abdômen, usando braços robóticos.

A prática padrão para a maioria das histerectomias nos Estados Unidos consiste em uma incisão em toda a linha do cabelo pubiano. Outra opção, que minimiza a dor, formação de cicatrizes e o tempo de recuperação, é a laparoscopia, abordagem que envolve múltiplas pequenas incisões abdominais que dão acesso a uma câmara bidimensional e instrumentos cirúrgicos.

O sistema robótico, que permite imagens tridimensionais e guia os movimentos cirúrgicos através de um controle, melhora a mobilidade e o controle cirúrgico, mas normalmente requer várias pequenas incisões. O diferencial é que ele proporciona uma melhor estética final.

"É como uma extensão da própria mão do médico que esta dentro do paciente. Você pode ver a anatomia muito mais claramente. Eu posso visualizar cada vaso sanguíneo e localizar onde os nervos estão", afirma Lue.

De acordo com Lue, a desvantagem é que a técnica robótica pode ser difícil de aprender, já que requer mais habilidade do cirurgião.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Técnica robótica    sistema robótico    retirada do útero    histerectomia    Georgia Health Science University    John R. Lue   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.