Saúde Pública
publicado em 25/10/2012 às 11h35:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Cientistas do Imperial College London, no Reino Unido, descobriram uma maneira de matar rapidamente o parasita Plasmodium falciparum causador da malária e erradicar a doença.

O novo tratamento utiliza moléculas que interferem com uma fase importante do ciclo de crescimento do parasita e aproveita este efeito para matá-los.

Segundo os pesquisadores, o impacto é tão agudo que matou 90% dos parasitas em apenas três horas e eliminou todos os patógenos em amostras de laboratório dentro de 12 horas.

"Plasmodium falciparum causa de 90% das mortes por malária, e sua capacidade de resistir a terapias atuais está se espalhando drasticamente, enquanto novas drogas estão em desenvolvimento, a maioria trabalha da mesma maneira que as terapias atuais e, portanto, só é eficaz a curto prazo. Acreditamos que podemos ter identificado o ' calcanhar Aquiles' do parasita, utilizando uma molécula que perturba muitos processos vitais para sua sobrevivência e desenvolvimento", afirma o líder da pesquisa Matthew Fuchter.

Os pesquisadores identificaram dois compostos químicos que afetam a capacidade do Plasmodium falciparum de sofrer transcrição, processo fundamental que traduz o código genético em proteínas. Estes compostos são capazes de matar o parasita durante o período de tempo do seu ciclo de vida complexo, enquanto ele habita a corrente sanguínea. Isto está em contraste com a maioria dos fármacos antimaláricos, cuja ação é limitada às fases mais curtas do ciclo de vida do Plasmodium.

"Um aspecto particularmente interessante desta descoberta é a capacidade de rapidamente matar todos os vestígios do parasita", afirma Fuchter.

Testes iniciais mostraram que as moléculas também foram capazes de matar estirpes de Plasmodium que desenvolveram uma resistência aos tratamentos atuais, embora os cientistas ressaltem que mais experimentos são necessários para confirmar estes resultados.

A equipe agora espera refinar essas moléculas, aumentando sua eficácia e criando uma estratégia viável para o tratamento da malária em humanos. Eles esperam que a abordagem possa levar ao desenvolvimento de uma cura eficaz contra a doença nos próximos dez anos.

Clique aqui para mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
processos vitais    sobrevivência    malária    Plasmodium falciparum    estirpes resistentes a medicamentos    Imperial College London   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.