Geral
publicado em 25/10/2012 às 08h15:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Reprodução: Oregon Health & Science University
Shoukhrat Mitalipov, líder da pesquisa
  « Anterior
Próxima »  
Shoukhrat Mitalipov, líder da pesquisa

Pesquisadores da Oregon Health & Science University , nos Estados Unidos, usaram uma polêmica técnica de fertilização in vitro para produzir embriões com material genético de duas mulheres e um homem.

A abordagem, que substitui o DNA mitocondrial defeituoso encontrado em um óvulo humano por outro saudável, pode ajudar a prevenir doenças genéticas de origem materna no futuro.

O DNA mitocondrial, localizado fora do núcleo das células, é herdado sempre da mãe e é o responsável pela transmissão de doenças hereditárias incuráveis que afetam especialmente os órgãos e tecidos com maiores necessidades de energia, como cérebro, coração, pâncreas e os rins.

A equipe de pesquisa, liderada por Shoukhrat Mitalipov, conseguiu substituir o genoma mitocondrial com defeito por outro de uma doadora, livre de mutações danosas. Com isso, os cientistas obtiveram um óvulo capaz de produzir blastócitos (embriões de até cinco dias de vida) e células-tronco embrionárias normais.

Segundo os pesquisadores, o bebê que nascesse deste óvulo teria todos os traços genéticos de sua mãe biológica, mas levaria o DNA mitocondrial da doadora e estaria livre das doenças que, de outro modo, seriam herdadas de sua progenitora.

No trabalho, os cientistas usaram 64 óvulos doados por mulheres saudáveis. Após a fertilização, 13 deles se desenvolveram normalmente e deram origem a embriões em estágios iniciais. Os cientistas dizem que não pretendem usá-los para gerar uma criança.

A ideia dos cientistas é que, no futuro, as mulheres que carregam mutações genéticas usem seus próprios óvulos, com um pequeno percentual do material genético de outra pessoa, para gerar filhos saudáveis.

Ensaios anteriores realizados com macacos utilizando a mesma técnica deram origem a animais saudáveis.

A equipe acredita que esta pesquisa, juntamente com outros esforços, pode abrir caminho para futuros ensaios clínicos em seres humanos.

Embora esta forma de terapia ainda não tenha sido aprovada nos Estados Unidos por envolver o uso de óvulos humanos, o Reino Unido afirma que considera seriamente seu uso para o tratamento de pacientes humanos com risco de doença baseada em mitocôndrias. Acredita-se que esta descoberta mais recente, combinada com estudos anteriores em animais, ajudará a informar que o processo de tomada de decisão.

O trabalho foi divulgado na revista Nature.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Técnica polêmica    embriões    material genético    Oregon Health & Science University    Shoukhrat Mitalipov   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.