Geral
publicado em 23/10/2012 às 17h40:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação/Good Therapy
Crianças adotadas por casais homossexuais apresentam desenvolvimento normal assim como aquelas adotadas por casais heterossexuais
  « Anterior
Próxima »  
Crianças adotadas por casais homossexuais apresentam desenvolvimento normal assim como aquelas adotadas por casais heterossexuais

Cientistas da Universidade da Califórnia, nos EUA, descobriram que crianças adotadas por casais homossexuais apresentam desenvolvimento normal assim como aquelas adotadas por casais heterossexuais.

A equipe analisou casos de 82 crianças consideradas "de risco" que foram adotadas no estado da Califórnia, 60 por pais heterossexuais e 22 por homossexuais (sendo 15 por homens e 7 por mulheres).

A idade das crianças na época da adoção era de 4 meses a oito anos e a dos pais, de 30 a 56 (além disso, 68% eram casados ou moravam com um parceiro).

Os pesquisadores avaliaram tanto as crianças quanto os pais adotivos nos períodos de 2 meses, 1 ano e 2 anos depois da adoção.

Os filhos passaram pela análise de um psicólogo clínico nas três ocasiões, enquanto os pais completaram questionários sobre o comportamento das crianças.

Os resultados mostraram poucas diferenças entre as crianças, em qualquer das avaliações ao longo do período de dois anos após a adoção.

As pontuações em testes de quociente de inteligência (QI) subiram em média 10 pontos em todas as crianças após a adoção. Antes de serem adotadas, elas já tinham múltiplos fatores de risco, entre eles nascimento prematuro, exposição a drogas durante a gestação, abuso ou negligência e moradia inconstante.

"As crianças apresentaram ganhos significativos tantos nas famílias heterossexuais, quanto naquelas compostas por gays e lésbicas. O desenvolvimento cognitivo melhorou substancialmente, enquanto seus problemas de comportamento e desenvolvimento social ficaram estáveis", destaca o autor da pesquisa Justin Lavner.

O estudo foi publicado na revista American Journal of Orthopsychiatry.

"As crianças adotadas por pais gays e lésbicas tinham mais desafios antes de serem adotadas e ainda assim apresentaram o mesmo nível de desenvolvimento, o que é impressionante", afirma a coautora Letitia Anne Peplau.

Em tempos em que muitas crianças passam anos esperando por um lar, o estudo indica uma perspectiva positiva que mostra que a adoção por casais homossexuais pode ser uma boa opção. "Não há base científica para se discriminar pais gays e mães lésbicas", concluem os pesquisadores.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Casais homossexuais    Adoção    Gays    Lésbicas    Universidade da Califórnia    Justin Lavner   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Casais homossexuais    adoção    gays    lésbicas    Universidade da Califórnia    Justin Lavner   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.