Geral
publicado em 15/10/2012 às 09h58:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Anandkrish/Foto Stock
Curcumina diminui a expressão de duas proteínas que estão envolvidas na metástase
  « Anterior
Próxima »  
Curcumina diminui a expressão de duas proteínas que estão envolvidas na metástase

Um ingrediente ativo do açafrão em pó conhecido como curcumina pode impedir o câncer de próstata de sofrer metástase, de acordo com pesquisadores da Ludwig-Maximilians-Universität, na Alemanha.

A pesquisa sugere que o ingrediente, usado durante séculos para o tratamento de osteoartrite e outras doenças, diminui a expressão de duas proteínas que estão envolvidas no desencadeamento da metástase.

O câncer de próstata é um dos tumores malignos mais comuns no mundo ocidental, e muitas vezes é diagnosticado apenas depois que tumores metastáticos se formam em outros órgãos. Em três 3% dos casos, essas metástases são letais.

Agora, Beatrice Bachmeier e seus colegas descobriram que o produto natural é capaz de inibir a formação destes metástases. O composto é encontrado na cúrcuma, uma planta que tem sido usada para fins medicinais há milhares de anos, e é um dos principais ingredientes do curry.

Segundo os pesqusiadores, a curcumina é bem tolerada e está, portanto, em princípio, adequada tanto para uso profiláctico (prevenção primária) e também para a supressão de metástases no caso de um tumor estabelecido já estar presente (prevenção secundária).

Pesquisas anteriores mostraram que a substância reduz de forma estatisticamente significativa a formação de metástases pulmonares em um modelo animal de câncer de mama avançado.

O novo estudo foi desenhado para investigar a eficácia de curcumina na prevenção de metástases do câncer de próstata, e para determinar o mecanismo de ação do agente.

Os pesquisadores primeiro examinaram os processos moleculares que são regulados de forma anormal em tumores da próstata. Os cânceres de mama e próstata são frequentemente associados com reacções inflamatórias crônicas ou latentes, e em ambos os casos, as células tumorais produzem proteínas imunomoduladoras pró-inflamatórias, incluindo as citocinas CXCL1 e CXCL2.

Os investigadores então mostraram que a curcumina especificamente diminui a expressão destas duas proteínas, e em um modelo de rato, esse efeito se relacionou a uma diminuição na incidência de metástases. "Devido à ação da curcumina, as células tumorais sintetizam pequenas quantidades de citocinas que promovem a metástase. Como consequência, a frequência de formação de metástases no pulmão é significativamente reduzida, em animais com câncer de mama, como mostrámos anteriormente, ou com carcinoma da próstata, tal como demonstrado no presente estudo", explica Bachmeier.

A equipe considera, portanto, que a curcumina pode ser útil na prevenção de câncere de mama e da próstata, ambos ligados à inflamação, e seja capaz de reduzir seu potencial metastático. "Isto não significa que o composto deve ser visto como um substituto para as terapias convencionais. No entanto, poderia desempenhar um papel positivo na prevenção primária ou ajudar a evitar a formação de metástases. Neste contexto, o fato de que a substância é bem tolerada é muito importante, porque pode-se recomendar com segurança aos indivíduos que tenham um risco aumentado de tumores", conclui a pesquisadora.

Bachmeier agora está planejando um ensaio clínico em pacientes que sofrem de câncer de próstata resistente a terapia padrão para avaliar os efeitos da curcumina nessa população.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Curcumina    câncer de próstata    açafrão    metástase    Ludwig-Maximilians-Universität    Beatrice Bachmeier   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.