Profissão Saúde
publicado em 12/10/2012 às 14h11:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Leonardo Prado/Agência Câmara
Comissão de Seguridade criará um grupo de trabalho para analisar as consequências da medida para a saúde de obesos.
  « Anterior
Próxima »  
Comissão de Seguridade criará um grupo de trabalho para analisar as consequências da medida para a saúde de obesos.

As entidades médicas criticaram a proibição da venda de alguns inibidores de apetite em audiência pública na Câmara dos Deputados nesta semana. O representante do Conselho Federal de Medicina (CFM), o nutrólogo Dimitri Gabriel Homar, é contra o ato que atingiu a comercialização de anorexígenos. Para ele, a medida retira a autonomia do médico de prescrever o tratamento correto. "Consideramos os remédios eficazes no controle de obesidade. A lista de medicação é necessária para que possamos oferecer uma medicina de qualidade aos pacientes" , disse.

Durante a audiência, o presidente da Comissão de Seguridade, deputado Mandetta (DEM-MS), anunciou que criará um grupo de trabalho para analisar os fatos que levaram a Anvisa a proibir, no fim do ano passado, a venda dos anorexígenos anfepramona, femproporex e manzindol. O CFM questiona na Justiça a medida adotada pela Agência.

Dimitri, que também é vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF), enfatizou a responsabilidade profissional: " o médico é o único profissional capacitado a fazer o diagnóstico e prescrever. Retirara este direito e um flagrante na autonomia de médicos e pacientes no seu poder de decisão" . O médico ainda apresentou a existência de trabalhos científicos os quais provam a eficácia dos produtos. Inclusive um Parecer Técnico-Científico favorável da própria Anvisa, publicado no Diário Oficial de 21 de julho de 2000.

O diretor-geral da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), Paulo Giorelli, afirmou que a incidência de obesos subiu de 2,4% para 4% após a proibição de uso dos anorexígenos. Esse número foi obtido em uma pesquisa realizada pela associação com base em questionários preenchidos por médicos de dezembro de 2011, quando o uso dos anorexígenos foi proibido, a setembro deste ano. A associação defende a liberação dos inibidores de apetite.

Em diversas oportunidades, as entidades manifestaram contrárias à proibição do uso dos remédios. Segundo o 1º secretário do CFM, Desiré Callegari, a proibição dos inibidores de apetite reduz as possibilidades de tratamento de pacientes obesos. "É preciso que a Anvisa se torne mais rigorosa a prescrição e a venda desse tipo de medicamento, mas não baní-los do mercado" , disse.

Fonte: CFM
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
emagrecedores    inibidores de apetite    CFM    Conselho Federal de Medicina    audiência pública    Câmara dos Deputados   
Comentários:
Comentar
Aline
postado em:
21/10/2010 13:12:22
Não sabem prescrever dá nisso!por qualquer razão este tipo de remédio é prescrito, quando na verdad hábitos de vida saudáveis deveriam esta sendo incentivados. Se foi proibido a culpa é dos próprios médicos
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.