Geral
publicado em 28/09/2012 às 14h20:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Yuri Arcurs/Foto Stock
Pílulas que induzem o sono alteram substâncias químicas no cérebro e pode causar demência
  « Anterior
Próxima »  
Pílulas que induzem o sono alteram substâncias químicas no cérebro e pode causar demência

Pílulas para dormir aumentam o risco de demência, de acordo com pesquisadores da Universidade de Harvard, nos EUA.

Os resultados revelam que pessoas que utilizaram benzodiazepínicos, que incluem temazepam e diazepam, para dormir são 50% mais propensas a desenvolver a condição.

Segundo os pesquisadores, o estudo sugere que os efeitos colaterais das drogas podem ser tão prejudiciais que os médicos devem evitar a prescrição.

As pílulas para dormir trabalham alterando a maneira como as mensagens são transmitidas para o cérebro, o que induz um efeito calmante. No entanto, os cientistas acreditam que, ao mesmo tempo, eles podem interferir com substâncias químicas no cérebro conhecidas como neurotransmissores, o que pode estar causando demência.

"Há um potencial de que essas drogas sejam muito prejudiciais. Se é verdade que elas estão causando demência isso é muito importante. Mas um único estudo não necessariamente mostra tudo o que está acontecendo, por isso ainda não há necessidade de pânico. Estas drogas certamente têm seus benefícios e se receitadas de uma forma ideal, elas vão fornecer um bom tratamento", afirma o líder da pesquisa Tobias Kurth.

O estudo envolveu 1.063 homens e mulheres com mais de 65 anos da França por um período de 20 anos. Inicialmente nenhum dos participantes tinha demência e nenhum estava tomando tranquilizantes.

Os investigadores seguiram os participantes depois de 15 anos e descobriram que 253 tinham desenvolvido demência. Eles trabalharam com 100 não tomam a droga, 3,2 seria de esperar para receber a doença.

Os resultados mostraram que aqueles que tomavam os benzodiazepínicos foram 50% mais propensos a desenvolver a demência.

Segundo os pesquisadores, o estudo concluiu que "considerando a extensão em que os medicamentos são prescritos e do número de potenciais efeitos adversos, o uso indiscriminado generalizado deve ser advertido".

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Pílulas para dormir    demência    tranquilizantes    benzodiazepínicos    Universidade de Harvard    Tobias Kurth   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.