Profissão Saúde
publicado em 13/11/2009 às 17h30:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Gutemberg Brito/IOC
Eduardo Tibiriçá, chefe do Laboratório de Investigação Cardiovascular do IOC/Fiocruz
  « Anterior
Próxima »  
Eduardo Tibiriçá, chefe do Laboratório de Investigação Cardiovascular do IOC/Fiocruz

Uma das grandes preocupações do Sistema Único de Saúde (SUS), a qualidade dos serviços prestados à população está muito ligada à motivação dos profissionais de saúde. Identificar as possíveis associações entre o perfil sociodemográfico e a motivação para o trabalho dos médicos do Programa Saúde da Família (PSF) foi o objetivo de um levantamento feito por Flávio da Guarda, membro do Observatório de Recursos Humanos em Saúde do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães (CPqAM/Fiocruz Pernambuco).

A pesquisa, que teve como foco a análise de profissionais da Região Metropolitana do Recife, traçou o perfil de 76 médicos em dez municípios. A investigação revelou que, dentro das equipes do PSF, a motivação não está relacionada diretamente às características do indivíduo, mas é influenciada indiretamente por outros componentes do trabalho, como a resposabilidade e o envolvimento com o serviço.

Flávio da Guarda conta que os fatores sociodemográficos interferiram muito pouco na motivação dos médicos do PSF. A motivação, neste caso, está mais ligada a questões internas do trabalho do que a traços específicos do profissional. " Alguns componentes da motivação, como expectativas profissionais e reconhecimento pessoal, são influenciados por características como renda e escolaridade, mas a motivação em si sofre uma influência indireta neste caso" , comentou.

Segundo o pesquisador, uma das surpresas do estudo foi constatar que poucas variáveis sociodemográficas interferem na motivação. Um aspecto interessante, de acordo com o pesquisador, é que a idade e o nível de qualificação dos médicos estão bem acima da média nacional. " Cerca de 86% dos profissionais possuem cursos de pós-graduação e 76% têm mais de 40 anos de idade" , diz. A pesquisa mostrou também que 47% dos profissionais são mulheres e que a remuneração média é de 12 salários mínimos.

Na coleta dos dados foi utilizado o Inventário da Motivação e do Significado do Trabalho (IMST), desenvolvido pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O trabalho foi orientado por Ricardo Tavares, pesquisador do Departamento de Saúde Coletiva da Fiocruz Pernambuco. Dois artigos estão em vias de publicação. O primeiro deverá ser descritivo do perfil sócio-demográfico dos profissionais de saúde, enquanto o segundo apresentará uma associação entre o perfil e a motivação dos médicos da RMR.

Fonte: FIOCRUZ
   Palavras-chave:   Perfil Médico    Motivação    Programa de Saúde da Família    Flávio da Guarda   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Perfil Médico    Motivação    Programa de Saúde da Família    Flávio da Guarda   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.