Geral
publicado em 02/09/2012 às 13h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Wavebreak Media/Foto Stock
Nova visão sobre a biologia de implantação oferece possibilidades de tratamento e prevenção de abortos espontâneos
  « Anterior
Próxima »  
Nova visão sobre a biologia de implantação oferece possibilidades de tratamento e prevenção de abortos espontâneos

Cientistas da Universidade de Warwick, no Reino Unido, descobriram que mulheres 'super-férteis' são mais susceptíveis a abortos recorrentes.

A pesquisa revela que os úteros dessas mulheres são mais propícios à implantação de embriões, tanto sadios quanto insalubres.

"Isto é importante porque, nos últimos 60 anos, os pesquisadores acreditavam que o aborto era consequência da rejeição materna do feto em função de diferenças imunológicas", afirma o coautor do pesquisador Jan Brosens.

A pesquisa indica que o mecanismo de rejeição não é devido a isso. Segundo os pesquisadores, abortos recorrentes podem agora ser vistos não como a incapacidade de manter a gravidez, mas talvez como a incapacidade de evitar uma.

Brosens e seus colegas examinaram amostras de úteros de seis mulheres que sofreram abortos recorrentes e seis que tinham fertilidade normal. No laboratório, os pesquisadores colocaram embriões de alta e de baixa qualidade em nas células do útero dos dois grupos de mulheres. As células de mulheres com fertilidade normal rejeitaram os embriões de baixa qualidade e começaram a gerar os de alta qualidade. As células de mulheres com abortos recorrentes começaram a gerar ambos os embriões de alta e de baixa qualidade.

De acordo com os pesquisadores, esta nova visão sobre a biologia de implantação oferece possibilidades de tratamento e prevenção de abortos espontâneos recorrentes.

Eles acreditam que um novo teste de diagnóstico poderia ser desenvolvido para identificar seletivamente embriões de baixa qualidade.

Além disso, o conhecimento da 'super-fertilidade' pode ajudar as mulheres a entender o aborto de uma maneira nova. "Muitas mulheres que sofrem abortos recorrentes têm a sensação de que não podem ser mães, porque parecem rejeitar os fetos. De fato, o oposto pode ser o caso. Elas são, na verdade, super-férteis", concluem os pesquisadores.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Abortos    Fertilidade    Mulheres super-férteis    Universidade de Warwick    Jan Brosens   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Abortos    fertilidade    mulheres super-férteis    Universidade de Warwick    Jan Brosens   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.