Ciência e Tecnologia
publicado em 22/08/2012 às 14h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Yngve Vogt/University of Oslo
Foto: Yngve Vogt/University of Oslo
Físicos desenvolveram tecnologia que torna possível reduzir pela metade a radiação de um scanner PET Erlend Bolle, David Volgyes, Michael Rissi e Kim Eigard Hones, da esquerda para a direita, durante o processo de´pesquisa
  « Anterior
Próxima »  
Físicos desenvolveram tecnologia que torna possível reduzir pela metade a radiação de um scanner PET
Erlend Bolle, David Volgyes, Michael Rissi e Kim Eigard Hones, da esquerda para a direita, durante o processo de´pesquisa

Cientistas da Universidade de Oslo, na Noruega, desenvolveram uma tecnologia inédita que torna possível reduzir pela metade a radiação emitida em exames de tomografia e ressonância.

O novo scanner de tomografia por emissão de pósitrons (PET) é construído em uma escala tão pequena que pode ser colocado dentro de um scanner de ressonância magnética. Isto faz com que seja possível tirar as imagens de ressonância e tomografia ao mesmo tempo com melhor qualidade e menos radiação.

PET proporciona uma imagem espacial de onde as células cancerosas estão localizados no corpo. Esses exames são mais difíceis de interpretar já que não situa o local de exato das células de câncer em relação ao esqueleto e os tecidos moles. Isto pode ser feito apenas comparando imagens de PET com uma imagem anatômica, tais como a ressonância magnética.

A ressonância magnética fotografa o corpo usando ondas de rádio e um poderoso campo magnético a fim de fornecer imagens muito melhores do tecido mole. A desvantagem de scanners de ressonância é que o exame é mais caro e leva muito mais tempo.

Atualmente, a maioria dos hospitais combina PET e tomografia, mas esta combinação tem uma fraqueza significativa. "A radiação desse exame combinado é dez vezes maior do que a radiação recomendada para um ano. Muitos doentes com câncer devem ser examinados várias vezes para testar se o tratamento está funcionando. O total de radiação durante o tratamento pode, portanto, ser muito alto", afirma o pesquisador Erlend Bolle.

Bolle e seus colegas construíram uma máquina de PET que é tão pequena que pode ser colocada dentro de uma máquina de ressonância magnética. Ambas as imagens podem, assim, ser tomadas ao mesmo tempo e o pessoal médico não tem de corrigir os erros que ocorrem quando duas imagens são combinadas depois de terem sido tiradas.

Segundo os pesquisadores, a nova tecnologia permite dobrar a sensibilidade. Na prática, é possível tirar fotografias duas vezes mais rápido, ou apenas utilizar metade da dose radioativa, a fim de obter a mesma qualidade de imagem anterior.

"Embora nossa ideia inicial tenha sido fazer um scanner para animais, essa tecnologia pode ser facilmente adaptada para uso hospitalar", conclui Bolle.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Ressonância magnética    tomografia por emissão de pósitrons    PET    scanner    Universidade de Oslo    Erlend Bolle   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.